XXII Governo Constitucional. Uma hora e meia para 70 posses e dois discursos

Um primeiro-ministro, 19 ministros, 50 secretários de Estado. Já tomaram posse no Palácio da Ajuda os membros do Governo naquela que foi a maior cerimónia de tomada de posse governamental de que há memória, pelo menos em democracia. A cerimónia durou uma hora e meia, das 10.30 ao meio-dia.

Por setenta vezes ouviu-se a frase: "Eu, abaixo-assinado(a), afirmo solenemente pela minha honra que cumprirei com lealdade as funções que me são confiadas." De um primeiro-ministro, de 19 ministros e de 50 secretários de Estado.

A cerimónia teve início pelas 10h30 e terminou uma hora depois, dando lugar aos discursos: primeiro, o do Presidente da República; depois, o do primeiro-ministro. Às 10.31, António Costa leu o seu juramento, assinou os livros do ato de posse, seguindo-se depois os restantes governantes. A cerimónia foi dada como encerrada pelo secretário-geral da Presidência da República pelas 12.03, findos os discursos do Presidente da República e do primeiro-ministro.

Após a cerimónia de tomada de posse, o Governo reúne-se em Conselho de Ministros. A agenda inclui a preparação da apresentação do Programa do Governo na Assembleia da República e a lei orgânica do novo executivo. Depois da cerimónia na Ajuda, todos os 70 governantes embarcaram em três autocarros elétricos, rumo à Presidência do Conselho de Ministros, onde tiraram a foto de família.

Na sequência da vitória eleitoral do PS nas legislativas de 6 de outubro, António Costa foi dois dias depois indigitado primeiro-ministro pelo Presidente da República.

No passado dia 15, António Costa apresentou ao chefe de Estado a lista dos 19 ministros e três secretários de Estado sob sua dependência direta que irão integrar o XXII Governo Constitucional.

Na segunda-feira passada, o primeiro-ministro recebeu o assentimento de Marcelo Rebelo de Sousa em relação aos restantes 47 secretários de Estado que farão parte da sua equipa.

Entre os ministros, Pedro Siza Vieira, Augusto Santos Silva, Mariana Vieira da Silva e Mário Centeno sobem a ministros de Estado. A existência de quatro ministros de Estado é uma das principais novidades em relação ao XXI Governo Constitucional. E são criados dois novos ministérios: da Coesão Territorial (Ana Abrunhosa) e da Modernização do Estado (Alexandra Leitão).

Dos 70 governantes, 26 são mulheres e 44 homens: o peso das mulheres no conjunto do novo Governo será de 37,1%.

O executivo cessante de António Costa, o XXI Governo Constitucional, tem 17 ministros (passa agora para 19), 43 secretários de Estado, 17 dos quais mulheres. No total, entre primeiro-ministro, ministros e secretários de Estado, a atual equipa cessante tem 61 governantes.

Na sua primeira composição, que tomou posse em 26 de novembro, o executivo tinha 17 ministros e 41 secretários de Estado, num total de 59 governantes (contando com o chefe do Governo).

Exclusivos