Sessão solene do 25 de Abril vai juntar 130 pessoas no plenário

Assembleia da República garante que serão respeitadas as "distâncias de segurança recomendadas pelas autoridades de saúde". Presidência diz que o 10 de Junho será assinalado com uma cerimónia simbólica em frente aos Jerónimos.

A cerimónia de evocação do 25 de Abril vai reunir, na sala do plenário da Assembleia da República, cerca de 130 pessoas, entre deputados e convidados.

A estimativa é avançada numa nota publicada esta sexta-feira (17 de abril) no site do Parlamento. "Ponderados todos os interesses em presença, foi decidido que a Assembleia da República reunirá em Sessão Solene com a presença de apenas 1/3 das suas deputadas e deputados. O leque de convidados será limitado, em face da situação excecional que o país atravessa, permitindo respeitar as distâncias de segurança recomendadas pelas autoridades de saúde", refere o texto.

"No cômputo geral, e incluindo deputadas e deputados, estimam-se em cerca de 130 o número total de presenças (o que contrasta com as cerca de 700 verificadas em 2019)", sublinha a nota. Na sessão usarão da palavra o "Presidente da Assembleia da República, os deputados únicos representantes de partido, representantes dos Grupos Parlamentares e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que encerrará" - o figurino habitual das intervenções.

Aprovada em conferência de líderes parlamentares, por proposta de Ferro Rodrigues e o apoio das bancadas da esquerda, (e do PSD) a não suspensão da cerimónia tem provocado críticas, nomeadamente à direita. Na sessão parlamentar da última quinta-feira, este assunto foi alvo de uma troca de palavras entre o presidente da Assembleia e o centrista João Almeida, que voltou a manifestar a posição contrária do CDS à realização da cerimónia.

10 de Junho assinalado nos Jerónimos

Também a Presidência da República emitiu uma nota afirmando que Marcelo Rebelo de Sousa "participará nas cerimónias do 25 de Abril e do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas", tal como já afirmou publicamente.

"No 25 de Abril, nos termos definidos pela Assembleia da República, aliás com um número exíguo de deputados e meramente simbólico de convidados", diz a Presidência

Já no 10 de Junho será feita uma "cerimónia simbólica em frente ao Mosteiro dos Jerónimos", depois de as comemorações previstas para a Madeira terem sido adiadas para o ano que vem.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG