Sérgio Moro responde a Sócrates: "Não debato com criminosos"

O ex-ministro português e arguido no caso Operações Marquês manifestou-se chocado com a vinda de Sérgio Moro a Portugal para apresentar o seu pacote anti-crime, chamando-lhe "ativista disfarçado de juiz". O atual ministro da Justiça brasileira já lhe respondeu.

De forma simples e curta: "não debato com criminosos". Foi desta forma que o juiz do caso Lava-Jato e atual ministro da Justiça brasileira, Sérgio Moro, respondeu aos ataques proferidos pelo ex-ministro português José Sócrates numa entrevista à TVI24 esta tarde.

Sócrates acusou Sérgio Moro de ser "um ativista político disfarçado de juiz", criticando a sua participação no Fórum Jurídico de Lisboa, na segunda-feira, na Faculdade de Direito.

Horas mais tarde, Moro, numa entrevista à Record TVEuropa, referia: "Em relação à pessoa em particular, eu não debato com criminosos pela televisão. Então, não vou fazer mais comentários".

Segundo a revista Sábado, Moro explicou ainda: "Em todo o lugar do mundo é difícil lidar com esses crimes de grande corrupção, envolvem pessoas poderosas. O sistema está preparado para [combater] outro tipo de criminalidade, mas todos os países precisam de avançar nessa área e enfrentar a grande corrupção."

Na entrevista à TVI24, Sócrates tinha equiparado o primeiro juiz, Carlos Alexandre, que teve em mãos o caso em que é arguido, a Sérgio Moro, dizendo que Carlos Alexandre atuou com parcialidade.

Mas, sublinhou, que o processo tem neste momento um juiz, Ivo Rosa, que "respeito" e que é "independente".

Exclusivos