PSD quer Estado a pagar tudo o que deve a fornecedores

PSD defendeu que o Estado deveria pagar os cerca de quatro a cinco mil milhões de euros de dívidas a fornecedores nas próximas duas semanas

O PSD defendeu esta quinta-feira, em comunicado, que "o Estado, a nível central, regional e local, deveria pagar, durante as próximas duas semanas, os cerca de quatro a cinco mil milhões de euros de dívidas a fornecedores".

É - diz a direção do partido - "uma ideia que se nos afigura de fácil execução, de elementar justiça e de razoável eficácia". E "uma medida que injeta liquidez imediata nas empresas e não afeta o défice (dado que a despesa que deu origem a essa dívida a fornecedores, em contas nacionais, já foi registada)".

Segundo o PSD, esta medida é possível do ponto de vista da liquidez do Estado, usando os depósitos do IGCP (a chamada almofada financeira que serão cerca de 10 a 12 mil Milhões de euros), e que pode ser reforçada ou através de um aumento das emissões de Bilhetes de Tesouro ou através de uma emissão de médio prazo de Obrigações do Tesouro".

No comunicado, os sociais-democratas revelam ainda que estão a trabalhar num plano de relançamento da economia que será "apresentando em maio ou junho, quando os efeitos económicos e financeiros do covid-19 forem já mensuráveis e já se tiver uma ideia clara da resposta" da UE.

Segundo também é dito, "nestas últimas semanas, o PSD tem mantido contacto com o Governo, procurando apoiar as medidas tomadas, analisando-as e contribuindo com sugestões e propostas para a sua melhoria".

"O nosso objetivo é procurar mitigar os efeitos da paragem da atividade económica, contando o Governo com o apoio do PSD, quer informalmente, quer no Parlamento", afirma a direção social-democrata.

Leia aqui todo o desenvolvimento do surto de covid-19.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG