Cooperação entre Áustria e Portugal passa pelo elétrico

O Presidente da Áustria, Alexander Van der Bellen, passeou por Lisboa de elétrico. Antes defendeu que a cooperação entre o seu país e Portugal deve ser reforçada nas áreas de economia, energia e cultura, mas sobretudo na ciência e na tecnologia.

Marcelo Rebelo de Sousa e o presidente da Áustria, Alexander Van der Bellen, passearam durante a tarde de elétrico por Lisboa. Os dois chefes de Estado ainda se encontraram com representantes dos vários milhares de crianças austríacas acolhidas em Portugal depois da II Guerra Mundial.

O passeio de elétrico pela cidade aconteceu depois do encontro que teve lugar no Palácio de Belém onde o líder austríaco foi recebido. "Estou convencido que esta visita vai contribuir para que as nossas relações bilaterais assumam um novo dinamismo", afirmou Alexander Van der Bellen após uma cerimónia de deposição de flores no túmulo de Camões. "As nossas relações políticas são excelentes, mas, na minha opinião, existe ainda potencial para um reforço da cooperação em diversos domínios, desde a economia às questões energéticas, passando pelas trocas a nível cultural e especialmente pela ciência e tecnologia", acrescentou.

Alexander Van der Bellen vai estar em Lisboa até esta quarta-feira, numa visita de Estado a convite de Marcelo Rebelo de Sousa para "consolidar e aprofundar as relações bilaterais" entre os dois países. "Esta visita de Estado não é uma rotina. Tem para a Áustria uma especial importância", garantiu Van der Bellen, lembrando que a sua comitiva integra três ministros, estando representadas as pastas da economia, da mulher e família, da sustentabilidade e turismo e ainda da agricultura e ambiente.

O chefe de Estado austríaco - que vai receber a Chave da Cidade de Lisboa - defendeu também um aumento dos investimentos mútuos e lembrou que os dois países apostam muito no turismo.

"Amanhã [na quarta-feira] teremos uma 'mesa redonda' sobre a sustentabilidade e o turismo e creio que talvez possamos aprender uns com os outros porque os nossos países são países de turismo", afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa assegurou, por seu lado, que os dois estão unidos por uma União Europeia assente na solidariedade, contra o extremismo, e também no combate às alterações climáticas.

"Convergimos no objetivo de manter o apoio e o entusiasmo dos nossos cidadãos para com o projeto europeu, combater o extremismo, o radicalismo e o chamado populismo, e avançar com projetos que aumentem a força da nossa união no contexto mundial", declarou o Presidente português.

Exclusivos