Nuno Magalhães não se recandidata a líder parlamentar

O deputado vai, contudo, encabeçar a lista pelo círculo de Setúbal em lugar elegível para a Assembleia da República.

Nuno Magalhães não vai candidatar-se a líder parlamentar do CDS na próxima legislatura, mantendo-se como candidato a deputado pelo círculo Setúbal, avançou a Rádio Renascença, numa notícia já confirmada pelo DN.

Magalhães, que foi secretário de Estado da Administração Interna, é líder parlamentar dos democratas-cristãos há oito anos - foi proposto por Paulo Portas, então líder do CDS-PP, em junho desse ano e eleito com 24 votos.

Foi o responsável pela articulação com e Executivo das políticas da troika, ao lado de Luís Montenegro, que era líder parlamentar do PSD, o partido com quem o CDS estava coligado no governo.

Nuno Magalhães, que já terá manifestado a várias pessoas a vontade de deixar a liderança da bancada do CDS, vai recandidatar-se a deputado por Setúbal - o seu nome foi aprovado na passada sexta-feira em Conselho Nacional do partido que ratificou todos os cabeças de lista, bem como os primeiros nomes das listas de Lisboa e Porto.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.