Maus resultados nas sondagens. PSD de Lisboa preocupado, o do Porto desvaloriza

As baixas tendências de voto no PSD em Lisboa e Porto estão a preocupar os militantes do partido. Líder da concelhia da capital diz que têm faltado propostas políticas para as populações das áreas metropolitanas.

"PSD vale 12% em Lisboa. A situação de Lisboa é uma catástrofe. Espero que os órgãos nacionais, distritais e concelhios retirem as devidas consequências deste colapso que tem responsáveis." Foi assim que Sofia Vala Rocha, a vereadora substituta do PSD na câmara da capital, comentou no Facebook os resultados da sondagem publicada pelo Expresso na última edição. A concelhia de Lisboa admite "preocupação" e diz que tem faltado resposta do partido para os setores mais jovens e dinâmicos da cidade.

Paulo Ribeiro, líder da concelhia de Lisboa do PSD, a maior do partido, vê "com preocupação" os resultados da sondagem, cuja a ficha técnica pode ser consultada aqui , mas faz questão de sublinhar que "a realidade não é de hoje" . E, aponta para as eleições autárquicas do ano passado, nas quais o PSD só conseguiu 16% na Área Metropolitana de Lisboa e na cidade pouco mais de 11%, ficando atrás do CDS.

"A sondagem expressa uma realidade e não me espanta. A questão agora é o que faz inverter esta tendência?"- questiona Paulo Ribeiro, que também assume que o "PSD" não tem tido um discurso, uma política e uma ação concreta para Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto ". O dirigente social-democrata de Lisboa referia-se desta forma indiretamente aos resultados da sondagem que deram 17% nas intenções de voto no PSD na Área Metropolitana do Porto.

Mas voltando à capital, o líder da concelhia de Lisboa do PSD admite;. "É preciso ganhar em Lisboa para ganhar o país". Afirma, no entanto, que "aumentou a sensibilização" da direção nacional para a necessidade de encontrar propostas políticas para os setores mais dinâmicos e jovens da área metropolitana, que passam pelo turismo, tecnologias e engenharias. "O partido tem de dizer as políticas que têm para estes habitantes", frisa.

Rejeita uma ideia, que perpassa em vários setores do PSD de Lisboa, que esta tendência de maus resultados passe pela ausência de oposição por parte dos vereadores na câmara de Lisboa - Teresa Leal Coelho e João Pedro Costa. "Acho que não é por aí. Seria aberrante pedir essas responsabilidades aos vereadores, mas é óbvio que temos de fazer em Lisboa para ter uma voz ativa na cidade."

No Porto, o líder da distrital desvaloriza os dados da última sondagem, alegando que foi ouvido um universo de inquiridos muito pequeno em relação à população da Área Metropolitana que é mais de um milhão e meio de habitantes. Alberto Machado garante que sente o contrário do resultado do estudo de opinião no terreno. "Há mobilização do partido e adesão das pessoas", diz.

No último encontro que Rui Rio teve com militantes em Lisboa, o líder social-democrata advertiu para o risco do partido vir a cair para a casa dos 10% e pediu a mobilização das bases.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG