Marcelo vai passar parte do Dia de Portugal em Cabo Verde

O Presidente da República começa as celebrações do 10 de junho em Portugal para depois viajar até Cabo Verde

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou esta segunda-feira em Cabo Verde que vai passar parte do 10 de junho, Dia de Portugal e das Comunidades, neste país, onde visitará as cidades da Praia e do Mindelo.

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas durante a visita que efetuou à Rádio de Cabo Verde (RCV), acompanhado do seu homólogo cabo-verdiano, Jorge Carlos Fonseca.

O Chefe de Estado português encontra-se em Cabo Verde, de onde partirá ainda esta segunda-feira para o Brasil para assistir à tomada de posse do Presidente eleito, Jair Bolsonaro.

"Estou no aquecimento para vir cá festejar o Dia de Portugal e das comunidades em Cabo Verde, na cidade da Praia, acolhido pelo nosso querido Presidente [cabo-verdiano] e pelas autoridades cabo-verdianas e o povo cabo-verdiano, e depois dar um pulo ao Mindelo", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Comemorações começam em Portugal

"Começaremos no território português e depois partiremos para chegar aqui a meio da tarde, o que permitirá ainda nessa tarde e durante a noite celebrar aqui na cidade da Praia e, no dia seguinte, na cidade do Mindelo", ilha de São Vicente, prosseguiu.

Com este programa, o Presidente português pretende "cobrir o mais possível diferentes comunidades de portugueses, em várias ilhas, sempre numa grande fraternidade com o presidente e as autoridades cabo-verdianas".

A passagem de Marcelo Rebelo de Sousa por Cabo Verde em junho de 2019 deverá ainda ter um programa "à margem das comemorações". "Temos um programa complementar. Há muito tempo que o Presidente [cabo-verdiano] quer que eu vá a uma ilha muito especial para ele", disse o chefe de Estado português.

Marcelo Rebelo de Sousa chegou no domingo à tarde a Cabo Verde, tendo jantado num dos mais famosos restaurantes na cidade da Praia.

Esta segunda-feira de manhã, pelas 08:30, começou o dia com um mergulho nas águas da Prainha, onde conviveu com populares.

O Presidente elogiou a "temperatura única na água" e o sol que se faz sentir em Cabo Verde. "Como veem, um sonho", disse.

Para o chefe de Estado esta foi uma forma "muito agradável de acabar o ano".

Durante a visita que efetuou à RCV, Marcelo rebelo de Sousa teve ainda a oportunidade de ler uma mensagem de ano novo em crioulo, tendo no final confessado que "o crioulo não é tão diferente assim do português. É mais abreviado, mais rápido e mais intenso".

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.