Lídia Pereira "foi a aposta forte" de Rio. Restantes nomes conhecidos hoje

A escolha da líder da maior organização de juventude a Europa para número dois da lista do PSD às europeias está a ser elogiada por todos os quadrantes do partido. Esta quarta-feira o elenco de candidatos fica completo.

A aposta que Rui Rio faz em Lídia Pereira para número dois da lista de candidatos do PSD às europeias surpreendeu o partido e está a ser visto como o "sinal claro" que o líder do PSD quis dar que não é pressionável internamente nas escolhas que faz para este primeiro desafio eleitoral do PSD.

Os elogios à escolha vêm mesmo dos quadrantes mais críticos a Rio, como o antigo líder da bancada parlamentar José Eduardo Martins ou o antigo líder do grupo parlamentar Hugo Soares. Lídia Pereira, de 27 anos, líder do YEPP, a juventude do PPE, tinha sido indicada pela distrital de Coimbra do PSD e pela JSD.

A presidente da JSD diz que a escolha de Rui Rio "reflete um sinal muito claro de aposta na juventude, que contrasta até com os outros partidos". Margarida Balseiro Lopes diz que "é melhor posição de sempre" da JSD na lista de candidatos.

E reforça a ideia de que "tantas vezes se diz que a geração jovem é profundamente europeísta, a geração Erasmus, que agora vamos estar de facto representados no Parlamento Europeu".

Paulo Rangel, o cabeça de lista do PSD, destaca a "renovação da lista", através de uma jovem que é profunda conhecedora dos assuntos europeus, já que lidera a maior organização jovem da Europa. "Tem, além disso, um currículo profissional forte, é uma aposta substantiva, que contrasta com o PS, que não fez nenhuma escolha nova".

Esta quarta-feira fica-se a conhecer a lista completa de candidatos do partido às eleições de 26 de maio. A Comissão Política Nacional reúne e à noite o Conselho Nacional. Além de Paulo Rangel e Lídia Pereira, está garantida na lista o nome da representante da Madeira, Claúdia Monteiro de Aguiar, que já é eurodeputada, e fala-se para os lugares cimeiros dos nomes José Manuel Fernandes, eurodeputado, de Álvaro Amaro, presidente da Câmara da Guarda, e da possibilidade de Maria da Graça Carvalho.

Fora de questão está, como o DN noticiou, a possibilidade de Mota Amaral, antigo presidente da Assembleia da República, entrar nos primeiros seis lugares.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG