Legislativas. Assunção encabeça lista de Lisboa e líder da JP entra em segundo no Porto

Enquanto os outros partidos ainda andam às voltas com as listas de candidatos às eleições europeias, o CDS já arrumou essa casa e avança para as legislativas. Esta noite de sexta-feira, o Conselho Nacional centrista aprova os cabeças de lista e os candidatos da quota da direção de Assunção Cristas, que lidera a lista de Lisboa.

Da lista encabeçada pela presidente centrista fazem ainda parte Ana Rita Bessa, João Gonçalves Pereira, Pedro Morais Soares, Isabel Galriça Neto e o independente Sebastião Bugalho (ex-jornalista). Cecília Meireles liderará a lista do Porto, da qual fará parte o líder da Juventude Popular, José Rodrigues dos Santos. João Almeida encabeça a de Aveiro; Inês Palma Teixeira a de Beja;Telmo Correia a de Braga; Nuno Moreira a de Bragança; Assunção Vaz Patto a de Castelo Branco; Rui Lopes da Silva a de Coimbra; Paulo Pessoa Carvalho a de Évora; João Rebelo a de Faro; Henrique Monteiro a da Guarda; Raquel Abecasis a de Leiria; José Manuel Rato Nunes a de Portalegre; Patrícia Fonseca a de Santarém; Nuno Magalhães, atual líder parlamentar da bancada centrista, a de Setúbal; Filipe Anacoreta Correia a de Viana do Castelo; Patrique Alves a de Vila Real; e Hélder Amaral a de Viseu.

Pelo círculo da Europa corre ainda Melissa Silva e pelo fora da Europa Gonçalo Nuno Santos.

Segundo o CDS há uma forte aposta na juventude, com a aposta no presidente da JP a número dois no Porto. Francisco Rodrigues dos Santos tem sido um aguerrido líder da juventude popular e vem ocupar o lugar de Teresa Caeiro, que não se recandidatará ao mandato de deputada nas próximas legislativas.

Assunção Cristas dá também palco a alguns independentes como Sebastião Bugalho, que foi jornalista e é licenciado em Ciência Política; a Raquel Abecasis, também ex-jornalista da Rádio Renascença, que já foi candidata nas eleições autárquicas pelo CDS em Lisboa; e em Rui Lopes da Silva.

Há nove dos atuais deputados da bancada do CDS que são cabeças de lista:Cecília Meireles, Nuno Magalhães, João Almeida, Telmo Correia, João Rebelo, Patrícia Fonseca, Filipe Anacoreta Correia e Hélder Amaral.

O objetivo do CDS é manter ou até aumentar os 18 deputados eleitos nas últimas legislativas, quando o CDS concorreu coligado com o PSD, ainda na era Pedro Passos Coelho e Paulo Portas.

Estes nomes que preenchem a quota da direção de Assunção Cristas foram apresentados ao Conselho Nacional que também aprovará a lista de candidatos ao Parlamento Europeu, encabeçada por Nuno Melo. O CDS entra assim em quase dupla campanha eleitoral, para as europeias mas também para as legislativas, colocando no terreno todos os seus ativos mais conhecidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG