Juventude Popular erradica plástico das suas atividades

Num prazo de seis meses a Juventude Popular (JP) espera ter eliminado a utilização do plástico em todas as atividades que promover.

A juventude liderada por Francisco Rodrigues dos Santos aprovou uma resolução que põe fim à utilização do plástico e derivados em eventos próprios. A direção da JP dá às suas estruturas concelhias e distritais um prazo de seis meses para ser uma organização livre daquele produto nas iniciativas que promovem.

A proposta, "Por uma Juventude Popular sem plásticos", foi formulada pela Concelhia de Cascais - conjuntamente com o "Movimento Claro" - acolhida pela Comissão Política Nacional, e aprovada por unanimidade pelos mais de duzentos e cinquenta delegados presentes no último Conselho Nacional, refere a JP em comunicado.

Esta decisão visa, segundo a JP, colmatar a verificável dependência em relação a produtos de plástico, que resulta num autêntico envenenamento do meio ambiente. Francisco Rodrigues dos Santos afirmou-se empenhado na redução da pegada ecológica da JP.

"Os jovens são responsáveis pela adopção de comportamentos sustentáveis definidores de hábitos futuros amigos do ambiente, dado que se encontram em posição de peso para realizar mudanças a nível global. A Juventude Popular dá o exemplo, em linha com as preocupações da Comissão Europeia, tendo em consideração o efeito de descarte de plástico pouco consciente no meio ambiente, e que no nosso continente representa cerca de 85% do lixo encontrado em todas as praias", afirmou o líder da JP.

Exclusivos