Venezuela. Deputados votam projeto do CDS sobre medidas para regresso de portugueses

Há cerca de 300 mil portugueses na Venezuela. Muitos foram obrigados a deixar o país e tudo o tinham.

A comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas vota hoje uma recomendação do CDS-PP ao Governo para "medidas urgentes e eficazes nas respostas de creches e lares para os filhos e ascendentes dos portugueses e lusodescendentes" da Venezuela.

"Muitos destes portugueses ou lusodescendentes não viram outra opção que não fosse abandonar tudo o que tinham na Venezuela para fugir à miséria, à fome e, em alguns casos, ao risco de perderem a vida", refere o Projeto de Resolução 1819/XIII/4.ª que recomenda ao Governo "a adoção do plano de apoio aos portugueses e lusodescendentes que por força do agravamento das circunstâncias políticas, sociais e económicas na Venezuela regressem ao território nacional".

Para os centristas, "a situação que se vive na Venezuela, desde há uns tempos a esta parte, consubstancia um verdadeiro problema democrático, civil e de desrespeito pelos mais elementares direitos humanos".

Face a este cenário, o CDS "tem estado atento e tem procurado tomar as medidas necessárias, não só pelo facto de todos os países que atravessam uma grave crise merecerem a nossa preocupação, mas também porque a comunidade portuguesa na Venezuela é uma das mais significativas de todo o mundo".

Muitos dos portugueses ou lusodescendentes "não viram outra opção que não fosse abandonar tudo o que tinham na Venezuela para fugir à miséria, à fome e, em alguns casos, ao risco de perderem a vida".

A crise política, económica e social na Venezuela, país dirigido por Nicolás Maduro, prolonga-se desde 2015 e afeta também a comunidade portuguesa, com cerca de 300 mil pessoas.

Ler mais

Exclusivos