Santana Lopes esclarece jantar com amigos

O DN recebeu de Pedro Santana Lopes uma carta ao diretor sobre o futuro da sua vida política, em resposta ao artigo "Santana sai do PSD sem arrastar figuras de peso. Ex-apoiantes zangados".

Senhor Diretor Ferreira Fernandes

Com toda a consideração por Vossa Excelência e pelo jornal que dirige, venho solicitar que publique um desmentido a um texto da jornalista Paula Sá hoje [DN de 9 de agosto]] publicado na primeira página do DN.

Conheço - a há muitos anos e considero - a muito profissionalmente.

A jornalista Paula Sá tem tentado muito, nestas últimas semanas, contactar comigo mas eu já lhe fiz saber que entendo não ser a altura adequada. Quando entender que estão reunidas as condições para o efeito, será certamente um dos primeiros jornalistas para quem estarei inteiramente disponível.

O texto publicado pelo DN funda-se efectivamente em factos que não são verdadeiros.

Não promovi jantar nenhum para o efeito referido na notícia do DN. Como já referi publicamente, as minhas decisões sobre o futuro da minha vida política foram tomadas por mim, tendo apenas auscultado o sentimento da minha Família e dado a conhecer os meus propósitos à Conceição Monteiro.

Janto com os meus amigos regularmente, muito naturalmente, mas o texto da notícia do DN não encontra qualquer colagem com a realidade.

Continuo a pensar e a trabalhar, e não estou nada só, na forma de intervir na vida pública no Futuro.

E haverá certamente notícias interessantes para o domínio público, dentro em breve. O DN há-de recebê-las em primeira mão, dado o interesse demonstrado pelo assunto.

Desejando a melhor sorte para este novo ciclo de tão prestigiado Órgão de Comunicação apresento os meus Melhores cumprimentos

PSL

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.