Rui Rio e as ligações familiares no governo: "Ultrapassou todos os limites"

"Uma coisa é demitir-se um, outra era demitirem-se todos os casos que têm vindo a público", disse o presidente do PSD a propósito da demissão do adjunto do secretário de Estado do Ambiente.

Rui Rio, presidente do PSD, defendeu nesta quarta-feira que não será "uma, duas ou três" demissões em gabinetes do governo devido a ligações familiares que alteram uma situação que "ultrapassou todos os limites".

À margem de uma visita à Futurália, em Lisboa, Rio foi questionado sobre a demissão, hoje conhecida, do adjunto do secretário de Estado do Ambiente, Armindo Alves, depois de se saber que era primo do membro do governo que assessorava.

"Uma coisa é demitir-se um, outra era demitirem-se todos os casos que têm vindo a publico. Penso que isto ultrapassou os limites, os portugueses já perceberam que ultrapassou os limites", afirmou.

O líder do PSD admitiu que ele próprio, quando chamou a atenção para o facto de no Conselho de Ministros se sentarem "marido e mulher, pai e filha", não conhecia ainda a dimensão das ligações familiares de socialistas no governo e no Estado.

"Não tinha noção de que, por trás disto, estavam coisas bem mais graves, todo o aparelho de Estado enxameado de familiares de governantes e de pessoas bem posicionadas no Partido Socialista. Ultrapassou todos os limites, não é por se demitir um, ou dois ou três que altera o que quer que seja", considerou.

Sobre a visita que realizou hoje à Feira de Educação, Formação e Orientação Educativa, que decorre até sábado na FIL, o líder do PSD considerou-a uma oportunidade interessante "para os jovens poderem aumentar a sua empregabilidade e descobrir as suas vocações".

"Sobretudo quando somos jovens, não basta estudarmos e termos um emprego, o fundamental é fazermos aquilo de que mais gostamos, descobrirmos as nossas vocações", defendeu.

Na breve visita, Rio teve oportunidade de parar no stand da Juventude Social-Democrata e, a pedido da líder desta estrutura, Margarida Balseiro Lopes, inscreveu o seu desejo para a educação, ao lado de muitos outros já deixados por estudantes num papel de parede branco. "Mais rigor" foi o pedido deixado pelo líder do PSD no stand dos jovens sociais-democratas.

Também as juventudes do CDS-PP, do PS e do PCP estão representadas na Futurália e alguns elementos da Juventude Popular confraternizavam com os da Juventude Socialista à passagem de Rui Rio.

"Se a doutora Assunção Cristas descobre...", gracejou o líder do PSD, recebendo na resposta de um dos elementos da JP que "a amizade não tem cor".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.