PS espera que MP investigue envolvimento de militantes do PSD em campanha de perfis falsos

O DN de hoje revela uma investigação a dezoito contas falsas criadas nos últimos meses com ligações evidentes a quatro militantes do PSD de Lisboa, entre os quais está um consultor de redes sociais contratado há seis meses.

A direção da bancada do PS espera, "a todo o momento", "diligências do Ministério Público" que esclareçam a história contada este sábado na manchete do DN.

Em causa está a investigação que revela a criação de dezoito contas falsas nos últimos meses com ligações evidentes a quatro militantes do PSD de Lisboa. Envolvidos estão o recém contratado consultor de redes sociais do partido, o seu pai e dois dos seus apoiantes mais próximos.

Nestas contas é feito um ataque cerrado ao governo, atribuem-se falhas de "caráter" e informações falsas a António Costa, ao candidato Pedro Marques e a outras figuras do PS como Carlos César. E elogia-se o PSD, Rui Rui e Paulo Rangel.

Carlos César, presidente do PS e líder da bancada parlamentar socialista, encarregou um grupo de trabalho interno na bancada para estudar queixas a apresentar à Entidade Reguladora da Comunicação Social e à Comissão Nacional de Eleições.

"É, tudo o indica, mais um escândalo e mais uma das vergonhas do alegado banho de ética do PSD de Rui Rio", disse César ao DN.

Tal como escrevemos este sábado, o gabinete de imprensa do PSD garantiu ao DN que o partido "não só não utiliza esse tipo de práticas, como faz questão de as combater" e mostra-se disponível para apertar as regras sobre as campanhas nas redes sociais, porque o que ali se passa "não é sustentável por muito mais tempo".

Exclusivos