Operação Marquês. Juiz diz que prazo de quatro meses não chega

Juiz Ivo Rosa lembra que tem em mãos outro processo de grande complexidade, que envolve os colégios do grupo GPS

O juiz Ivo Rosa, responsável pela fase de instrução da Operação Marquês, enviou ontem um despacho à defesa dos arguidos em que afirma que os quatro meses estipulados por lei para concluir esta fase do processo não vão ser suficientes. De acordo com a SIC Notícias, o juiz lembra que tem em mãos um outro processo, também de especial complexidade - que envolve os colégios do grupo GPS, que beneficiou de contratos de associação entre 2005 e 2013, e que tem agora vários administradores acusados de corrupção.

Ivo Rosa vai reunir-se com os advogados dos arguidos e procurador titular da Operação Marquês, Rosário Teixeira, a 25 de outubro, para acertar o calendário de diligências a realizar.

Ivo Rosa foi sorteado, na passada semana, para conduzir a fase de instrução do processo. Cabe-lhe agora decidir se há indícios suficientes para levar os arguidos - entre os quais o ex-primeiro-ministro José Sócrates - a julgamento

Exclusivos