Advogado português em site de fake news dos donos da Cambridge Analytica

Um dos mais conhecidos sites de notícias falsas dos EUA, que é dos mesmos donos da Cambridge Analytica e da Breitbart, publicou o texto de um português, advogado. Terá este admirável mundo novo chegado a Lisboa? O próprio não quer comentar, mas o texto tornou-se viral no Twitter.

Tiago Sousa Freitas é advogado e trabalha num dos mais conhecidos escritórios de Lisboa, a sociedade liderada por Diogo Leite Campos, fiscalista e professor de Direito. Mas a razão para estar aqui é outra. Escreveu um texto para um dos mais conhecidos divulgadores de notícias falsas dos EUA, o Gatestone Institute. O assunto é Portugal. E o texto tornou-se viral no Twitter.

"Está Portugal a tornar-se num bastião do neo-marxismo", pergunta o título que o advogado assina e está disponível desde a madrugada de sexta-feira. Quase tudo o que ali está escrito descreve a opinião do autor sobre a política portuguesa. Das críticas à "longa tradição socialista" do país, às considerações sobre "a contribuição de um parceiro tóxico - o Bloco de Esquerda" para a atual maioria parlamentar.

Não é o teor do artigo que é curioso - no caso do advogado. Basta conferir a conta do Twitter do próprio para perceber que isso é uma matéria de convicção - lá estão vários textos de Marine Le Pen, por exemplo.

Curioso é o órgão que o publica, o Gatestone. Este é um dos mais conhecidos divulgadores de notícias falsas dos EUA. Notícias como esta: há uma "crise de violações cometidas por refugiados" na Europa, o Reino Unido é uma colónia muçulmana. Ou esta: "Alemanha: Doenças infecciosas alastram com a chegada de refugiados". Ou ainda esta: O Reino Unido proibiu a imprensa de divulgar que ataques terroristas são praticados por muçulmanos.

Estas notícias falsas foram denunciadas, nos EUA, por diferentes publicações de verificação noticiosa.

As principais financiadoras do site - fundado em 2012 - são duas milionárias americanas, apoiantes de Donald Trump, Nina Rosenwald e Rebekah Mercer, esta última a filha do milionário Robert Mercer. Ambos, pai e filha, são considerados os criadores de Steve Bannon, o ex-diretor da campanha de Trump, ex-chefe de estratégia da Casa Branca, e que atualmente se dedica a apoiar os movimentos populistas de extrema direita na Europa. Os Mercer são também donos da Cambridge Analytica -a polémica empresa que ajudou a manipular informações no Facebook nas eleições americanas e no Brexit.

O diretor do instituto é John Bolton, o homem que Trump nomeou para seu conselheiro de segurança nacional. Segundo uma investigação do The Intercept, o Gatestone tentou influenciar com notícias falsas as recentes eleições em "França, Holanda, Áustria e Alemanha".

Apesar de ter uma versão em português, não constava ainda do registo do site americano nenhuma colaboração nacional. Até que Tiago Sousa Freitas descreveu as tentativas de impor o marxismo em Lisboa: "Este poder assumiu a forma de uma intensificação da agenda neo-marxista, com uma tentativa quase bem-sucedida de legalizar a eutanásia, a defesa desproporcional dos direitos dos animais, a possibilidade de mudança de género para qualquer pessoa de 16 anos ou mais, e uma série de medidas draconianas contra o setor privado. No entanto, não é dita uma palavra sobre isto nas plataformas de media portuguesas."

Descontando o facto de o único partido marxista português - o PCP - ter votado contra a legalização da eutanásia, a opinião do advogado português não é uma típica notícia falsa do Gatestone.

Talvez por isso, o único leitor do site que comentou a notícia não parece preocupado com o risco de Portugal vir a inaugurar uma estátua a Marx em São Bento. "Eu não estou convencido de que uma proposta a favor da eutanásia bem controlada, dos direitos dos animais, ou mesmo direitos transgénero, quando apropriados, realmente constituam crenças de extrema-esquerda ou mesmo de esquerda. Muitos conservadores apoiam a eutanásia, os direitos dos animais e os direitos LGBT e outros que são agora predominantes nos países ocidentais. Se essas são as piores coisas que o atual governo fez, ficarei tranquilo."

Já Tiago Sousa Freitas, que aparece descrito no site como um "advogado corporativo em Lisboa", recusou-se a falar sobre o objetivo do site: "Estou mais incomodado com o seu telefonema."

A conversa não começou da melhor forma. "Não tenho nada a dizer sobre o assunto."

E o final, não melhorou. "Não lhe dou qualquer autorização para escrever sobre o assunto." Sendo a autorização desnecessária, a razão para o contacto nem era o texto que escreveu, mas o órgão que o publicou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.