Governo admite reunião na terça-feira - mas só com greve desconvocada

O ministro das Infraestruturas admite promover uma reunião entre o sindicato em greve e a Antram na terça-feira. Mas primeiro o SNMMP terá esta tarde de desconvocar a greve

Terça-feira, às 16.00, no ministério das Infraestruturas. O Governo está disposto a mediar o regresso das negociações entre o SNMMP às negociações e a Antram (patrões). Deixa porém um desafio: no plenário desta tarde, o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas terá de desconvocar a greve, iniciada na segunda-feira passada.

O SNMMP é agora o único sindicato ainda em greve, depois de o Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) ter decidido na quarta-feira desconvocar a que marcara.

Hoje à hora de almoço, o ministro do Ambiente apelou para o fim da greve. "Num dia que é obviamente importante porque há um plenário do sindicato [dos motoristas de matérias perigosas], apelo às partes para um entendimento e para que a greve chegue ao fim", afirmou João Pedro Matos Fernandes, numa conferência de imprensa no Porto para fazer um balanço da situação de emergência energética no país no sétimo dia da paralisação.

O ministro adiantou ainda que os serviços mínimos foram, no sábado, "ultrapassados", tendo sido "cumpridos a 123%", o que "traduz a existência de um número expressivo de trabalhadores que já não estão em greve".

De acordo com o governante, no sábado "estavam previstos 256 transportes de combustível e foram executados 315".

Quanto à possibilidade do fim da greve, Matos Fernandes considerou "um bom sinal" o comunicado da Antram de sábado, a disponibilizar-se para integrar um processo de mediação junto da Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho.

"[O comunicado] deixa uma claríssima capacidade para negociar" com o SNMMP, o único que se mantêm em greve, observou. "Sentimos que existem todas condições para que o único sindicato que se mantém em greve se sente à mesa para negociar", acrescentou.

O ministro afirmou ainda que "a forte expectativa que o Governo tem" é que, no plenário de trabalhadores, "haja condições para desconvocar a greve".

Exclusivos