Moção de confiança de Rui Rio vai a votos na quinta-feira

O presidente da Mesa do Congresso, Paulo Mota Pinto, já convocou o Conselho Nacional Extraordinário para a próxima quinta-feira, dia 17 de janeiro, no Porto.

A moção de confiança à direção nacional do PSD, que Rui Rio anunciou em resposta ao desafio lançado por Luís Montenegro para eleições diretas no partido, vai ser votada na próxima quinta-feira. O presidente da Mesa do Congresso, Paulo Mota Pinto , convocou o Conselho Nacional Extraordinário para esse dia.

"Se for esse o seu entendimento, o Conselho [Nacional] pode retirar a confiança à direção nacional e assumir democraticamente a responsabilidade de a demitir. Se os contestatários não conseguiram reunir as assinaturas para a apresentação de uma moção de censura, eu próprio facilito-lhes a vida e apresento [...] uma moção de confiança", afirmou Rui Rio, numa declaração à imprensa e a militantes num hotel do Porto, no domingo.

Recusando o repto lançado na sexta-feira por Luís Montenegro para a realização de eleições diretas, e iniciar "uma caminhada insensata para o abismo", Rui Rio acusou o antigo líder parlamentar do PSD de levar a cabo um "golpe palaciano", de se mover por uma "teia de interesses", de "falta de firmeza para travar os instigadores" que "apenas se movem pela tentativa de manutenção dos lugares nas listas do partido", de colocar a "agenda pessoal" à frente dos interesses do partido e do país, e de prestar "um serviço de primeiríssima qualidade" ao PS e a António Costa.

Dos 136 membros do CN que podem votar a moção, entre eleitos e inerências, Rio precisa que pelo menos 69 deles se pronunciem a favor da direção nacional.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O governo continua a enganar os professores

Nesta semana o Parlamento debateu as apreciações ao decreto-lei apresentado pelo governo, relativamente à contagem do tempo de carreira dos professores. Se não é novidade para este governo a contestação social, também não é o tema da contagem do tempo de carreira dos professores, que se tem vindo a tornar um dos mais flagrantes casos de incompetência política deste executivo, com o ministro Tiago Brandão Rodrigues à cabeça.