Conselho de Ministros eletrónico pronto a decretar requisição civil

António Costa garante que o Governo estará preparado para responder de imediato em caso de incumprimento dos serviços mínimos.

O primeiro-ministro anunciou este domingo que o Governo fará um Conselho de Ministros eletrónico para reagir de imediato se houver incumprimento dos serviços mínimos na greve dos motoristas que começa às zero horas de segunda-feira.

António Costa falava aos jornalistas no final da visita desta manhã à Entidade Nacional para o Sector Energético (ENSE)), onde esteve acompanhado pelo ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

Considerando "necessário que todos cumpram a sua parte", António Costa disse que há um gabinete de crise montado pelo Governo para acompanhar a evolução dos acontecimentos.

"Se há o direito à greve, há o dever de cumprir os serviços mínimos", observou o primeiro-ministro, depois de se referir ao comunicado com que a associação patronal do setor disse estar a substituir-se aos sindicatos para notificar os trabalhadores necessários ao cumprimento dos serviços mínimos.

Dizendo esperar que a greve "decorra pelo melhor" mas estando "preparado para o pior", António Costa insistiu que o direito à greve dos motoristas exerce-se a par do direito que o Governo tem de exigir o cumprimento dos serviços mínimos.

Daí aguardar que os sindicatos "honrem a palavra dada" de cumprirem os serviços mínimos, adiantou António Costa, sublinhando que os serviços mínimos decretados "podem mitigar mas não eliminam os efeitos da greve".

O chefe do Governo ainda vai participar este domingo numa reunião do Gabinete Coordenador de Segurança, com o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, a secretária-geral do Sistema de Segurança Interna (SGSSI), Helena Fazenda, e os responsáveis máximos da PSP, superintendente-chefe Luís Farinha, e da GNR.​​​​​, tenente-general Botelho Miguel.