Casas do Estado alugadas a turistas: ministro quer respostas urgentes

Ministério da Defesa "divulgará de imediato" informações pedidas ao Instituto de Ação Social das Forças Armadas sobre o caso das habitações do Estado que militares estarão a subalugar a turistas.

O Ministério da Defesa requereu ao Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA) que responda com "a máxima urgência" às questões sobre "eventuais utilizações irregulares de casas arrendadas" por essa instituição.

A informação foi dada esta terça-feira pelo gabinete do ministro Azeredo Lopes, através de um esclarecimento à notícia publicada segunda-feira pelo DN sobre a existência de uma queixa - apresentada por três inquilinos de um prédio do IASFA em Lisboa - sobre a presença frequente de turistas estrangeiros num dos apartamentos.

"O Ministério da Defesa enviou ao Conselho Diretivo do IASFA as questões recebidas" de vários órgãos de imprensa, "solicitando que as mesmas, pela gravidade do questionado, fossem respondidas com a máxima urgência", indica a nota do gabinete de Azeredo Lopes.

O Ministério "divulgará de imediato os esclarecimentos que venham a ser prestados" pelo IASFA.

Conhecer a dimensão e qual o uso dado ao património habitacional do IASFA tem sido um assunto recorrente que há anos acompanha o debate sobre o seu futuro, face ao buraco financeiro que foi crescendo ao longo do tempo e estará na casa dos 60 milhões de euros.

Ler mais

Exclusivos