Ataque informático contra o escritório de advogados PLMJ

Processos que envolvem figuras ligadas ao processo BES são alguns dos que foram alvo dos piratas informáticos.

Um dos principais escritórios de advogados portugueses foi alvo de um ataque informático que visou alguns dos mais mediáticos e importantes processos judiciais dos últimos anos, noticiou esta segunda-feira o Expresso,

A firma confirmou estar a avaliar a extensão de um ataque que visou processos ligados a Ricardo Salgado, Henrique Granadeiro, Manuel Pinho, António Mexia, Jorge Silva Carvalho (antigo diretor dos serviços de informações externas) e a holding pública Parvalorem.

A PJ já foi informada, embora dizendo desconhecer se a PLMJ formalizou alguma queixa.

"A PLMJ está a avaliar o impacto potencial desse acesso ilegítimo a informação, tendo definido de imediato, em conjunto com uma equipa de especialistas, medidas preliminares de proteção e contenção", adiantou aquela sociedade, citada pelo site Advocatus.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.