António Costa vai a Angola em setembro

Augusto Santos Silva anunciou os dias da visita de Estado do primeiro-ministro: 17 e 18 de setembro. Datas foram fechadas quando o ministro das Relações Exteriores de Angola visitou Portugal

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, confirmou esta quarta-feira em Bruxelas, à margem da cimeira da NATO, que o primeiro-ministro vai visitar Angola a 17 e 18 de setembro. O anúncio da visita de Estado de António Costa segue-se ao desanuviar das relações entre os dois países, depois do envio para Angola do processo de Manuel Vicente, ex-vice-presidente do país.

Uma outra fonte do executivo adiantou que as datas da deslocação do chefe do Governo português a Angola ficaram fechadas na segunda-feira passada, por ocasião da visita a Lisboa do ministro das Relações Exteriores angolano, Manuel Domingos Augusto. Na segunda-feira, após ter estado reunido com Manuel Domingos Augusto, o primeiro-ministro considerou que as relações diplomáticas entre Portugal e Angola atravessam agora "um momento auspicioso" com as autoridades dos dois países a retomarem as visitas oficiais de alto nível.

A minha visita a Angola renovará o dinamismo dos laços que unem Portugal e Angola, os nossos povos e empresas

"Recebi o ministro das Relações Exteriores de Angola num momento auspicioso para o relacionamento entre os nossos países com o retomar das visitas de alto nível. A minha visita a Angola renovará o dinamismo dos laços que unem Portugal e Angola, os nossos povos e empresas", escreveu o primeiro-ministro na rede social "Twitter".

No início dessa mesma reunião, António Costa recebeu do ministro das Relações Exteriores de Angola uma carta do presidente angolano, João Lourenço, que disse traduzir "um sinal das boas relações" entre os dois países.

Aproveitando a presença da comunicação social para a recolha de imagens no início da reunião, o ministro das Reações Exteriores de Angola anunciou que era portador de uma carta do chefe de Estado angolano, João Lourenço, destinada ao primeiro-ministro português. António Costa recebeu o envelope fechado, em formato A4, tendo Manuel Domingos Augusto adiantado logo uma explicação para este ato diplomático: "É um sinal das boas relações" entre os dois países, disse.

Recorde-se que em maio, o Tribunal da Relação de Lisboa decidiu transferir para Angola o processo que envolve o ex-vice-presidente angolano Manuel Vicente, no âmbito do processo Operação Fizz. Na altura, António Costa mostrou-se satisfeito com a decisão e afirmou mesmo que tinha desaparecido "o único 'irritante' que existia nas relações entre Portugal e Angola".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.