Greve dos motoristas. Rio acusa Governo de dramatizar como nas europeias

Líder do PSD alega que António Costa repete estratégia adotada após acordo da oposição na contagem do tempo de serviço dos professores.

O presidente do PSD recorreu este sábado às redes sociais para afirmar que "o Governo era mais isento e mais discreto" se tivesse como objetivo "tentar resolver o problema" da anunciada greve dos motoristas de matérias perigosas.

Numa mensagem publicada no Twitter ao início da madrugada, Rui Rio adiantou que o executivo de António Costa "não dramatizava, nem encenava um circo como o que montou antes das europeias", caso quisesse encontrar soluções para o problema.

"Adiar a greve para pós eleições e, até lá, tentar um acordo, parece-me o mais sensato", escreveu ainda Rui Rio, num comentário à notícia publicada pelo DN sobre a convocação do gabinete de crise governamental para a manhã deste sábado.

Recorde-se que, nas vésperas das eleições europeias e na sequência de um acordo parlamentar (na especialidade) entre todos os partidos da oposição para repor o tempo integral de serviço dos professores, o primeiro-ministro convocou o "núcleo duro" do Governo para uma reunião de emergência.

Depois anunciou que se demitiria se o Parlamento aprovasse a medida em votação final global porque colocaria "em causa a sustentabilidade" orçamental e "a governabilidade", naquele momento e anos seguintes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG