César avisa que alterações ao Orçamento representam milhões de euros em despesa

Líder parlamentar do PS diz-se preocupado com eventual acréscimo de despesa para a receita estimada. Jornadas parlamentares terão o "melhor ministro de todos", o "primeiro"

Nas vésperas do debate e votação das quase mil propostas de alteração ao Orçamento do Estado para 2019, o líder parlamentar do PS avisou os partidos, sobretudo os da geringonça, que é preciso ter "racionalidade" e "sentido de responsabilidade". Carlos César notou que "quando existe quase um milhar de propostas de alteração é inverosímil que se conheça o desfecho de todas as propostas".

Neste quadro, o também presidente socialista confessou-se preocupado, apesar de confiante na aprovação final global do Orçamento. "Temos uma preocupação nesse sentido. Estimamos que todos os partidos, em particular aqueles que apoiaram a investidura do Governo, e que apoiam o Governo, como é o caso do PS, assumam todas as suas responsabilidades." E explicou-se: "São propostas que acarretam uma despesa que não me parece à partida comportável com a receita estimada."

Falando esta quarta-feira à tarde aos jornalistas, na Assembleia da República, na antecipação das Jornadas Parlamentares do partido, que decorrem em Portimão, de sexta-feira a domingo, Carlos César antecipou números para sustentar a sua argumentação: "Se fizermos as contas a todas essas propostas de alteração, nós estamos em presença de milhares de milhões de euros de acréscimo de despesa." E logo deixou o recado a eventuais coligações negativas: "Naturalmente que não seria possível aprovar essas propostas com o mínimo de racionalidade e de sentido de responsabilidade."

"Se fizermos as contas a todas essas propostas de alteração, nós estamos em presença de milhares de milhões de euros de acréscimo de despesa."

O PS reúne a sua bancada numas jornadas parlamentares no Algarve, onde não contará com a presença de ministros. Carlos César corrigiu os jornalistas. "Temos o melhor dos ministros, que é o nosso primeiro-ministro", disse, referindo-se à intervenção de António Costa, no sábado, numa unidade hoteleira de Portimão. "Estamos a fazer jornadas parlamentares, não estamos a fazer um conselho de ministros", rechaçou o presidente da bancada socialista.

Sobre as jornadas, César explicou que o programa incluirá visitas aos 16 concelhos da região, na sexta-feira, e debates sobre turismo e a inovação e a transferência do conhecimento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG