CDS apoia Rui Moreira no Porto mas pede "frente de direita" nas autárquicas

O presidente do CDS afirmou esta sexta-feira que "não constitui surpresa" o apoio do partido à eventual recandidatura de Rui Moreira à Câmara do Porto, mas defendeu uma alargada "frente de direita" com o PSD para as autárquicas.

Em Guimarães, à margem de uma visita à têxtil Lameirinho, Francisco Rodrigues dos Santos defendeu que CDS e PSD devem concorrer coligados "ao maior número de câmaras possível", para destronar a esquerda.

"Eu sempre disse ser necessária uma frente de direita entre CDS e PSD para derrotar o maior número de câmaras à esquerda nas eleições autárquicas", referiu.

Sublinhou, no entanto, que os acordos de coligação "são sempre pontuais" e que "haverá sempre concelhos que ficarão de fora e em que o CDS será concorrente com o PSD.

"Acontece em muitos municípios deste país, é da vida, somos dois partidos autónomos", acrescentou.

Em relação ao apoio do CDS à eventual recandidatura de Rui Moreira à Câmara do Porto, anunciado na quinta-feira pela concelhia do partido, Francisco Rodrigues dos Santos disse que "não constitui surpresa nem novidade para ninguém".

Afirmou que os autarcas e estruturas locais do CDS estão "absolutamente entrelaçados e envolvidos" com o projeto de Rui Moreira, "cujo saldo é bastante positivo".

"Tem sido um trabalho de excelência, que tem ajudado a desenvolver a cidade do ponto de vista social, económico e cultural", disse ainda, frisando que a posição da Concelhia à recandidatura de Rui Moreira surge "em coerência" com o trabalho desenvolvido e com o apoio que o CDS entendeu dar "desde a primeira hora.

"É um sinal de que as coisas estão a correr bem, o CDS através desta aliança com Rui Moreira tem conseguido cunhar a sua marca na cidade e é o partido que há mais anos, quer em aliança com o PSD quer agora com Rui Moreira, está a governar a cidade do Porto, ininterruptamente", rematou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG