Catarina Martins aconselha "humildade" a António Costa

Coordenadora do BE defendeu que seria "bom" o líder socialista ter "a humildade de reconhecer o que foi feito em conjunto", mesmo que em campanha seja "normal" que os partidos mostrem "as suas diferenças".

A coordenadora do BE voltou a responder este domingo a António Costa considerando "normal" que em campanha eleitoral os partidos mostrem "as suas diferenças", mas que seria "bom" o líder socialista ter "a humildade de reconhecer o que foi feito em conjunto".

"As escolhas ficam com quem as faz em cada momento. Eu acho normal que os partidos nesta altura mostrem as diferenças que têm, mas é bom que também tenhamos a humildade de reconhecer o que foi feito em conjunto - sem apagar as diferenças, claro - e apresentarmos o que queremos para o país", afirmou Catarina Martins em declarações aos jornalistas à margem de uma visita à 40.ª edição da Agrival - Feira Agrícola do Vale do Sousa, em Penafiel.

Considerando que "cada partido sabe como quer fazer esta campanha e como quer apresentar-se" e que não se ganha "nada em fazer uma campanha sobre comentários", a líder bloquista defendeu que "os partidos ganham em respeitar-se uns aos outros" e que "o mais importante" e que "conta verdadeiramente para a estabilidade de um país é a estabilidade do salário, da pensão, do acesso à saúde e do que é essencial na vida concreta".

Logo no sábado, depois de revelada na íntegra a entrevista de António Costa ao semanário Expresso, Catarina Martins atualizou a sua entrevista ao jornal Eco, para criticar o líder socialista."O desejo de uma maioria absoluta pode levar à arrogância e à tentação de fazer caricaturas." E completou: "Prefiro a humildade de reconhecer o caminho que fizemos e discutir as diferenças que apresentamos para o país", afastando a ideia de que o Bloco é gerador de ingovernabilidade, como Costa tinha sublinhado ao Expresso.

Exclusivos

Premium

Liderança

Jill Ader: "As mulheres são mais propensas a minimizarem-se"

Jill Ader é a nova chairwoman da Egon Zehnder, a primeira mulher no cargo e a única numa grande empresa de busca de talentos e recursos. Tem, por isso, um ponto de vista extraordinário sobre o mundo - líderes, negócios, política e mulheres. Esteve em Portugal para um evento da companhia. E mostrou-o.