Bloco à frente do PSD em quatro freguesias de Lisboa

Das autárquicas, em 2017, para as europeias de domingo, o partido de Catarina Martins escalou posições em Lisboa e em quatro freguesias chegou mesmo a ficar à frente do PSD

Marvila, São Vicente, Santa Maria Maior e Penha de França. São estas as quatro freguesias de Lisboa onde o Bloco de Esquerda se tornou na segunda força política mais votada, à frente do PSD - e atrás do PS que se manteve como o partido mais votado em Lisboa com 29,40%, tal como aconteceu há dois anos, nas autárquicas (42%) e nas europeias de 2014 (29,22%).

Mas em Lisboa, o partido de Catarina Martins escalou posições. Nas europeias de 2014, o Bloco ficara em sexto lugar no concelho de Lisboa, com 5,32% - atrás do Movimento Partido da Terra e do Livre e também da CDU, que tinha tido 13,58% dos votos (perdeu 13 mil votos). Nas autárquicas de 2017, o BE tinha tido com 7,14% dos votos, passou a terceira força política da capital nas eleições europeias de domingo, com 10,69% - aumentando até o resultado nacional (9,82%).

Além de ter ficado à frente do PSD em quatro freguesias, o Bloco de Esquerda conseguiu o estatuto de terceiro partido mais votado noutras 10: Alcântara, Arroios, Misericórdia, Beato, Parque das Nações, Olivais, Santa Clara, Carnide, Campolide e Benfica.​​ O PSD, por seu lado, obteve apenas 17,70% no concelho de Lisboa - tinha conseguido 27,9%, na coligação com o CDS.

O eleitorado urbano é familiar ao Bloco, que, aliás, nasceu como um partido com esta configuração de agenda, no entanto, em 2017, com dois anos de governação da chamada "geringonça", nas eleições autárquicas, os bloquistas ficaram atrás do CDS (em coligação com MPT e o PPM), que levou a sua líder à candidatura. Dois anos depois, o partido reforçou a sua posição na capital instalando-se como terceira força política, logo atrás do PSD (17,70%).

Nas últimas europeias, a realidade era bem diferente com o PSD de Pedro Passos coligado com o CDS. A coligação dos dois partidos adotava o nome de Aliança Portugal na corrida aos lugares do Parlamento Europeu e os resultados eleitorais colocaram-na segunda posição em Lisboa, com 27,90 % dos votos, atrás dos socialistas (29,22%) e à frente da CDU, com 13,58%.

Os lugares do pódio na capital mudaram este domingo, com os bloquistas a garantirem o lugar do terceiro partido mais votada, à frente do CDS (9,46%) e da CDU (6,95%).

​​

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG