BE avisa que não aceitará privatização do Serviço Nacional de Saúde

A coordenadora do BE disse hoje levar muito a sério o repto lançado por António Arnaut e João Semedo para salvar o Serviço Nacional de Saúde e avisou que não aceitará a privatização da maior conquista da democracia portuguesa.

"Nós somos os filhos do SNS e diremos aqui em todo o lado: não privatizamos aquela que é a maior conquista da democracia portuguesa e que levamos tão a sério o repto de António Arnaut e João Semedo para salvar o Serviço Nacional de Saúde", acentuou.

A dirigente bloquista, que falava no encerramento de um comício do partido no Porto, considerou que, ao invés de controlar o sistema financeiro, como foi prometido, fez-se "a sangria da maior riqueza da Europa", o estado social, para alimentar o sistema financeiro.

"O que foi feito nos últimos anos foi uma financeirização de todas as áreas de atividade e uma pressão gigantesca para, não só destruir os direitos do trabalho como privatizar as várias áreas do estado social. Querem assaltar-nos, estão a assaltar-nos e nós estamos aqui para travar esse assalto", defendeu.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.