Açores. PSD nega acordo nacional com o Chega

O PSD negou esta tarde de sexta-feira que haja um acordo nacional com o Chega em contrapartida do apoio para viabilizar um governo nos Açores.

"Não há acordo nacional do PSD com o Chega para a revisão constitucional", garantiu esta tarde de sexta-feira o vice-presidente do PSD e deputado André Coelho Lima. Isto depois de um violento ataque do PS que acusou Rui Rio de vender a "dignidade" para conseguir viabilizar o governo nos açores liderado pelo seu partido.

André Coelho Lima garantiu aos jornalistas que o PSD apenas transmitiu ao partido de André Ventura os princípios de um futuro projeto de revisão constitucional do PSD, entre os quais a redução do número de deputados, que é uma das propostas que o Chega também defende na sua proposta de alteração da Lei Fundamental. O deputado social-democrata lembrou, no entanto, que as alterações constitucionais carecem de uma maioria de dois terços, ou seja, "um amplo consenso".

O vice-presidente de Rui Rio admitiu conversações a nível regional entre os dois partidos e que deram também origem ao anúncio de que o Chega viabilizará o governo de coligação PSD/CDS/PPM nos Açores. Mas garantiu que o PSD nunca "transigirá" nos princípios que defende.

André Coelho Lima aproveitou também para responder ao ataque que o secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, fez ao PSD depois de se conhecer o apoio do Chega. Recordando que em 2015 o PS quis formar governo sem ter ganho as eleições, num entendimento com o BE, PCP e Verdes, disparou a quem agora faz críticas ao PSD por procurar entendimentos na região autónoma: "Falta de sentido de vergonha!"

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG