Antiga noiva de Maradona procurada pela Interpol

O ex jogador argentino pediu um mandado de captura internacional contra Rocío Oliva, que desapareceu com muitos dos seus bens.

"Faltam-me relógios, faltam-me brincos, falta-me um monte de coisas que vou descobrindo a cada dia. Mas enfim, isto está apenas a começar. Lamentavelmente, quis dar-lhe tempo mas não obtive nenhuma resposta. Agora quero que ela siga com a sua vida mas que me devolva as coisas", afirmou Diego Maradona, entrevistado pelo apresentador de televisão argentino Mauro Viale.

"Lamento por ela, esperei tanto tempo para que me devolvesse as coisas e não o fez. Então, agora já está assinado e fechado um pedido à Interpol", adiantou o ex futebolista.

Neste caso, a justiça que se impõe é a aplicada no Dubai, local onde Maradona e Rocío Oliva viveram juntos e onde, alegadamente, terá aconteceu o roubo. "É verdade que te cortam a mão se não devolves as coisas. Dependendo do grau do roubo podes ir preso de dois a cinco anos. Isto disse um juiz do Dubai. Eu não digo absolutamente nada. Não fui eu que fiz as leis daqui. Não roubei nada a ninguém. Espero que se faça justiça", assinalou ainda o antigo técnico de futebol.

Maradona, 53 anos, e Oliva, 22, assumiram o namoro em fevereiro de 2013 e anunciaram o noivado no mesmo mês deste ano. Estiveram de casamento marcado até abril, altura em que o ex-treinador da seleção argentina descobriu que tinha sido roubado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG