Paris Jackson toca ukelele pelas ruas da Bretanha

A modelo de 19 anos diverte-se a tocar ukelele em Rennes, em França

A filha de Michael Jackson e de Debbie Rowe foi vista a passear pelas ruas de Rennes, norte de França, enquanto tocava ukelele - e o vídeo do momento, que publicou no Instagram, já é um êxito nas redes sociais.

De mochila às costas, luvas sem dedos e ar descontraído, a modelo norte-americana de 19 anos toca o instrumento à noite por uma praça da cidade, enquanto posa com a língua de fora para a câmara.

Aos 17 anos, Jackson admitiu que era alcoólica e que participava em reuniões dos Alcoólicos Anónimos. Também confessou num post nas redes sociais ter tentado suicidar-se, quando, em 2013, se automutilou e tomou 20 comprimidos.

Hoje em dia, a filha do "rei da pop" partilha mensagens inspiradoras e fotografias pacíficas nas redes sociais, transmitindo um estado "zen" e fotografias suas num estilo "hippie", diferente da indumentária das sessões fotográficas que as pessoas estão habituadas a ver.

"Give peace a chance" ("dá uma oportunidade à paz") é uma das frases da "bio" das suas plataformas na Internet. E numa das várias imagens com mensagens motivadoras que coloca no Instagram, lê-se: "Num mundo onde podes ser aquilo que tu quiseres, escolhe ser bondoso".

Jackson é uma das atrizes do filme Gringo, juntamente com Charlize Theron, David Oyelowo e Amanda Seyfried, que estreará nos cinemas a 9 de março de 2018.

Ler mais

Exclusivos

Opinião

DN+ João

Os floristas da Rua da Alegria, no Porto, receberam uma encomenda de cravos vermelhos para o dia seguinte e não havia cravos vermelhos. Pediram para que lhes enviassem alguns do Montijo, onde havia 20, de maneira a estarem no Porto no dia 18 de julho. Assim foi, chegaram no dia marcado. A pessoa que os encomendou foi buscá-los pela manhã. Ela queria-os todos soltos, para que pudessem, assim livres, passar de mão em mão. Quando foi buscar os cravos, os floristas da Rua da Alegria perguntaram-lhe algo parecido com isto: "Desculpe a pergunta, estes cravos são para o funeral do Dr. João Semedo?" A mulher anuiu. Os floristas da Rua da Alegria não aceitaram um cêntimo pelos cravos, os últimos que encontraram, e que tinham mandado vir no dia anterior do Montijo. Nem pensar. Os cravos eram para o Dr. João Semedo e eles queriam oferecê-los, não havia discussão possível. Os cravos que alguns e algumas de nós levámos na mão eram a prenda dos floristas da Rua da Alegria.

Opinião

DN+ Quem defende o mar português?

Já Pascal notava que através do "divertimento" (divertissement) os indivíduos deixam-se mergulhar no torpor da futilidade agitada, afastando-se da dura meditação sobre a nossa condição finita e mortal. Com os povos acontece o mesmo. Se a história do presente tiver alguém que a queira e possa escrever no futuro, este pobre país - expropriado de alavancas económicas fundamentais e com escassa capacidade de controlar o seu destino coletivo - transformou 2018 numa espécie de ano do "triunfo dos porcos". São incontáveis as criaturas de mérito duvidoso que através do futebol, ou dos casos de polícia envolvendo tribalismo motorizado ou corrupção de alto nível, ocupam a agenda pública, transformando-se nos sátiros da nossa incapacidade de pensar o que é essencial.