Homem foi salvo pelo Príncipe William sem se aperceber

Especialista em árvores estava a trabalhar quando foi atingido por um ramo. O helicóptero que o veio salvar era pilotado pelo príncipe

Jim Schembri, cirurgião de árvores, teve um acidente que terminou de forma surpreendente. Após ter sido atingido por um ramo enquanto trabalhava, foi auxiliado por nada menos do que o herdeiro da coroa britânica Príncipe William.

O neto da Rainha Isabel II estava no seu posto de piloto da heli-ambulância da East Anglian Air Ambulance quando chegou o pedido de para socorrer Schembri, que estava demasiado atordoado para perceber quem era.

Com um ombro e a anca deslocados, Jim Schembri contou, no programa Good Morning Britain que, quando acordou no helicóptero e percebeu que era o Príncipe William que o estava a ajudar, lhe disse: "Oh Wills [alcunha de William], é melhor que não esteja a pilotar esta coisa!". O duque de Cambridge respondeu: "Estive a segurar na sua cabeça nos últimos 30 minutos".

Já no Addenbrooke's Hospital, em Cambridge, William passou ainda 40 minutos com Schembri na sala de trauma, mostrando-se sempre preocupado e com vontade de ajudar a vítima, na casa dos 30 anos.

A trabalhar na East Anglian Air Ambulance desde julho do ano passado, o príncipe William tem sido alvo de algumas críticas por ter um trabalho de "pessoa normal". Sobre isso, Jim Schembri defendeu o futuro Rei de Inglaterra. "O que toda a gente se parece esquecer é que ele [William] doa todos os seus ordenados ao serviço de ambulância aérea", rematou.

Exclusivos

Premium

Contramão na autoestrada

Concessionárias querem mais formação para condutores idosos

Os episódios de condução em sentido contrário nas autoestradas são uma realidade recorrente e preocupante. A maioria envolve pessoas idosas. O tema é sensível. Soluções mais radicais, como uma idade para deixar de conduzir, avaliação médica em centros específicos, não são consensuais. As concessionárias das autoestradas defendem "mais formação" para os condutores acima dos 70 anos.