Angelina Jolie e Brad Pitt processados devido a falta de pagamentos

Em causa estão os trabalhos de iluminação desenvolvidos pela designer Odile Soudant na propriedade do ex-casal em Provença, França

Odile Soudant, uma designer de interiores francesa, processou Brad Pitt e Angelina Jolie por não terem pago o seu trabalho na propriedade do ex-casal em Provença, França. A designer alega ainda que Brad e Angelina levaram a sua empresa à falência, por não cumprirem com os pagamentos de vários milhões de euros relativos aos trabalhos de iluminação da propriedade do século XVII.

Segundo o jornal francês Libération, Jolie e Pitt apaixonaram-se pela propriedade enquanto sobrevoavam a região de helicóptero, acabando por a comprar por 45 milhões de euros. Depois de se mudarem para o Chateau Miraval, o ex-casal concentrou-se na sua transformação, que incluiu a instalação de um ginásio, um spa, uma adega e uma pista de motociclismo.

Em 2010, Pitt, contratou Odile Soudant para participar na remodelação da propriedade. A designer procurou formas de explorar a luz natural da mansão e dos edifícios adjacentes: "Ele queria tornar a propriedade num lugar excecional e acreditava que a luz deveria estar no centro disso", disse Odile em declarações ao jornal Libération

A designer afirma ainda que tinha "carta branca" para iluminar os quatro edifícios da propriedade, incluindo a mansão com 40 quartos.

Apesar de não existir um contrato assinado, Odile Soudant afirma que cobrava todos os meses as suas taxas a Pitt e Jolie, enquanto a sua equipa, que incluía arquitetos, designers, especialistas em iluminação e até mesmo um engenheiro ótico, realizava estudos técnicos e as instalações.

Odile Soudant disse ainda não saber por que razão Brad Pitt lhe deixara de pagar, afirmando que o ator lhe continuou a enviar e-mails pedindo que a designer continuasse o seu trabalho. Após Pitt negar por várias vezes os pedidos de pagamento, a designer de interiores viu-se forçada a suspender as operações da empresa.

Dias depois, Odile Soudant voltou a receber um e-mail do ator: "Eu não sei como as coisas funcionam na França, mas nos Estados Unidos os amigos não atacam amigos. Eu não fui mais do que um fã do seu trabalho, não ataque. Vamos terminar o projeto, o trabalho é muito bom para ficar terminado com uma má nota. A vida é muito curta minha amiga".

Num segundo e-mail podia ainda ler-se o seguinte: "Não perca tempo com ações legais. Prossiga com a sua jornada artística e não se preocupe com o resto."

A designer acabou por receber dinheiro pelo trabalho em abril, após o tribunal de recurso de Paris ordenar ao ex-casal o pagamento de 565 mil euros, incluindo 60 mil por prejudicarem a sua reputação. Ainda assim, a designer continua a lutar para ser legalmente reconhecida como criadora do projeto de iluminação da propriedade.

Hogan Lovells, advogados de Pitt, defendem que a inspiração para o projeto partiu do ator, e, em uma declaração no tribunal de Paris, um arquiteto que trabalhou no imóvel revelou ainda que as ideias partiram do próprio Pitt, pois o ator é apaixonado por arquitetura e sabia o que queria alcançar.

Agora divorciados, Angelina e Brad decidiram manter a propriedade como um investimento, devido à produção de vinho e azeite.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG