Umbelina, 83 anos, foi assassinada por dinheiro. PJ prende homicida seis anos depois

Duas irmãs foram atacadas numa noite de maio de 2013, A mais nova tentou resistir ao assalto e acabou por morrer, Suspeito do homicídio foi detido em Marselha, França.

Umbelina Inácio, de 83 anos, e a irmã, de 89, dormiam em casa quando sofreram uma emboscada. Dois homens entraram na habitação das duas irmãs e quando a mais nova tentou resistir ao assalto foi "adormecida" com um pano embebido em clorofórmio. Umbelina viria a morrer durante a madrugada devido a uma paragem cardiorrespiratória causada pelo químico. Foi em maio de 2013. Seis anos depois, a Polícia Judiciária de Leiria anunciou que deteve o homicida da idosa. Tem hoje 58 anos e estava fugido em França.

O assalto que resultou na morte da idosa rendeu aos assaltantes 140 euros em numerário e quatro pequenos objetos em ouro.

A extradição do suspeito aconteceu no dia 27 de dezembro e foi acompanhada pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria. O suspeito, de 58 anos, e sem antecedentes criminais de relevo, está "fortemente indiciado pela autoria de um roubo agravado, que vitimou duas mulheres, uma das quais viria a falecer em consequência das lesões sofridas", lê-se na nota da Polícia Judiciária.

O crime aconteceu no dia 20 de maio de 2013, pelas 1h50, numa residência em Chainça - Abrantes, "através do arrombamento das portas da habitação".

De acordo com fonte da Policia Judiaria de Leiria, antes da fuga, o suspeito vivia em Abrantes, perto da zona onde as vítimas moravam, mas terá fugido para França por causa do crime. Não tinha trabalho certo e não viveu sempre na mesma localidade francesa, pelo que terá sido "apanhado" numa identificação de rotina.

Em nome do suspeito estava emitido um Mandado de Detenção Europeu com data de 2013. O homem acabou por ser detido em Marselha, "cidade onde estava a residir após ter passado por vários locais de França, no decorrer da fuga", lê-se no comunicado da PJ.

O detido foi presente ao tribunal de Santarém, e foi-lhe aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Há seis anos, o crime chocou a comunidade, principalmente a população e o presidente de Junta de São Vicente, devido aos "requintes de malvadez" usados pelos assaltantes, como noticiou o jornal O Mirante.

No ano passado, um texto no blogue "Cidadãos por Abrantes" perguntava onde estavam os assassinos de Umbelina, sublinhando que o crime estava impune desde a morte da idosa, em 2013.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG