Toureiro Mário Coelho morre de covid aos 84 anos

Na sua carreira internacional, conheceu personalidades como Hemingway, Picasso, Audrey Hepburn ou Ava Gardner. Terá contraído o novo coronavírus num almoço com amigos para celebrar o desconfinamento.

Mário Coelho morreu este domingo de madrugada aos 84 anos. O toureiro, cuja carreira internacional lhe deu oportunidade de conhecer personalidades como o escritor Ernest Hemingway, o pintor Pablo Picasso ou as atrizes Audrey Hepburn e Ava Gardner. Internado no hospital de Vila Franca de Xira, Mário Coelho testara positivo para covid-19.

Segundo o Farpas Blogue, o toureiro terá começado a sentir dificuldades respiratórias depois de um almoço com amigos a 13 de junho para celebrar o desconfinamento. Convencido que se trataria de uma gripe, recusou ir ao hospital, o que acabou por ter de o fazer quando os sintomas se agravaram. O teste à covid-19 deu positivo.

"Foi com enorme tristeza que recebemos a notícia do desaparecimento do nosso maestro Mário Coelho, figura incontornável da tauromaquia mundial, com um percurso ímpar que ficará para sempre perpetuado na nossa história", sublinha a ANDT, em comunicado enviado à Lusa.

Considerando que "a cultura portuguesa, a tauromaquia e, sobretudo, o toureio a pé ficam mais pobres", a Associação Nacional de Toureiros frisa que "os maestros não morrem, passam sim para outra dimensão".

A ANDT apresenta "as mais sentidas condolências", à mulher e filho de Mário Coelho.

Contactado pela Lusa, o antigo matador de toiros e atualmente empresário e apoderado Rui Bento Vasques lamentou a morte de Mário Coelho, recordando ter sido ele que lhe "incutiu o gosto pela profissão".

Rui Bento Vasques destacou ainda a "dimensão mundial" que Mário Coelho atingiu como matador de toiros.

Um dos maiores toureiros portugueses, Mário Coelho foi homenageado em outubro com uma estátua em Vila Franca de Xira, cidade onde nasceu em 1936. Casado com Maria Helena Guerra, tinha um filho, Mário Vizeu Coelho, fruto do casamento com Verónica, filha do primeiro matador português Diamantino Vizeu.

Numa entrevista ao Sol em 2019, Mário Coelho recordava que como qualquer rapaz de Vila Franca, também ele tinha crescido a querer ser toureiro. Foi como bandarilheiro que começou a carreira, mas acabou por se tornar famosos como matador de touros, tendo corrido as praças de todo o mundo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG