Sem jogos coletivos: alunos devem manter distância de três metros nas aulas de Educação Física

Orientações da Direção-Geral da Educação para as aulas presenciais de Educação Física sublinham a necessidade de evitar o contacto físico e a partilha de objetos.

Não haverá jogos de futebol, nem de basquete ou vólei, nem qualquer outra atividade física que implique o contacto entre alunos ou a partilha de uma bola. Isto não está escrito assim, mas é o que se pode concluir das orientações para o regresso às aulas presenciais de Educação Física, que foram divulgadas nesta terça-feira pela Direção-Geral da Educação, uma vez que o distanciamento físico e a higienização dos espaços e dos equipamentos são as duas regras básicas a ter em conta.

O documento considera que é necessário "minimizar os eventuais efeitos que o confinamento possa ter tido nos índices de atividade física dos alunos, enfatizando as atividades que permitam melhorar os níveis de aptidão física". E, no caso de ser necessário adotar um regime de ensino misto, a Educação Física será uma das disciplinas preferenciais para continuar a ser lecionada em regime presencial. No entanto, fica claro que será muito difícil retomar as atividades físicas que antes eram comuns nesta disciplina, sobretudo no que toca aos jogos coletivos.

Aconselha-se o distanciamento de três metros entre os alunos durante a prática de exercício físico. Posto isto, as indicações do Ministério da Educação são, portanto, para "valorizar a aquisição, de forma o mais individualizada possível, de um conjunto alargado de técnicas associadas às atividades físicas abordadas em contexto curricular" e para "privilegiar a lecionação de situações de aprendizagem individuais, bem como a utilização de jogos reduzidos e condicionados".

ESPAÇO

Privilegiar os espaços exteriores para a realização das atividades. "Nos casos em que as aulas decorram em espaços fechados, deve ser assegurada nos intervalos e, sempre que possível, com uma boa ventilação natural, através da abertura de portas ou janelas, nos dias com menor calor."

Além disso, "identificar os espaços que necessitem de ser reconfigurados em função das regras de utilização, reposicionando ou até mesmo removendo equipamentos existentes, de forma a assegurar o distanciamento físico recomendado entre os alunos, durante a prática de atividade física".

Promover a higienização dos espaços, a desinfeção das mãos e o uso de calçado exclusivo para as aulas, quer para alunos quer para professores e auxiliares.

DISTANCIAMENTO

O mais importante: promover a adoção de estratégias e metodologias de ensino que privilegiem o respeito pelo distanciamento físico de, pelo menos, três metros entre alunos.

Para tal, será favorável a delimitação de áreas de prática, de modo a orientar o posicionamento dos alunos (ex.: marcações no chão, linhas delimitadoras, etc.) e promover a realização de tarefas individuais, respeitando o distanciamento físico recomendado. Poderá haver situações de ensino com grupos reduzidos, ajustados aos espaços de atividade física e valorizando a utilização de formas de jogo reduzidas e condicionadas.

PARTILHA DE EQUIPAMENTOS

A regra mais importante é: reduzir a partilha de materiais e objetos.

Todos os materiais e equipamentos utilizados devem ser submetidos a limpeza e desinfeção, nomeadamente aqueles que sejam partilhados (como bolas, raquetes, etc.). Da mesma forma, será também necessário adotar estratégias de ensino que priorizem o trabalho em circuito, possibilitando a execução de exercícios através de estações.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG