Álvaro Amaro paga 40 mil euros e vai tomar posse como eurodeputado

O antigo presidente da Câmara Municipal da Guarda deixou o tribunal de Viseu, onde foi ouvido no âmbito do processo "Rota Final", com o termo de identidade e residência ficando ainda obrigado ao pagamento de uma caução

Castanheira Neves, advogado do social-democrata Álvaro Amaro, disse esta segunda-feira à saída do Tribunal de Viseu, onde o antigo autarca foi ouvido no processo "Rota Final", que o seu constituinte irá tomar posse como eurodeputado, esta terça-feira, em Estrasburgo. Isto depois de, segundo o JN, ter deixado o tribunal com termo de identidade e residência, tendo ainda sido obrigado ao pagamento de uma caução de 40 mil euros.

Além disso, o antigo presidente da Câmara Municipal da Guarda fica ainda proibido de contactar com os outros arguidos do processo "Rota Final" por decisão do juiz.

"O doutor Álvaro Amaro tomará amanhã posse como eurodeputado, mas desde já uma informação: o doutor Álvaro Amaro jamais utilizará qualquer prerrogativa atinente à imunidade parlamentar" que terá a partir desta terça-feira, assumiu o advogado.

Castanheira Neves acrescentou que "sempre que qualquer autoridade judiciária precisar de o ouvir, de o ter presente em qualquer diligência, o doutor Álvaro Amaro dará prioridade a essa eventual diligência sobre as suas tarefas parlamentares".

À saída do Tribunal de Viseu, onde esteve a ser ouvido desde manhã e até quase às 17.00 horas, com interrupção para o almoço, Álvaro Amaro recusou-se a prestar esclarecimentos e o seu advogado disse que não podia "dizer rigorosamente nada, porque o processo se encontra em segredo de Justiça, interno e externo".

O processo em causa diz respeito à operação "Rota Final", uma investigação da Polícia Judiciária (PJ) sobre um alegado esquema fraudulento de viciação de procedimentos de contratação pública.

No dia 12 de junho, a Polícia Judiciária (PJ) realizou buscas a 18 câmaras municipais do Norte e Centro do país, sendo a operadora de transportes públicos Transdev uma das visadas.

O município da Guarda foi inspecionado por uma equipa de seis elementos da PJ, que estiveram nos Paços do Concelho e pediram "um conjunto de documentos, onde estão processos relacionados com os transportes urbanos", afirmou, na altura, o atual presidente da Câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro.

Álvaro Amaro renunciou ao mandato autárquico na Guarda para assumir o cargo de deputado no Parlamento Europeu na sequência das eleições de 26 de maio. O ex-autarca da Guarda foi ouvido em Viseu, uma vez que, no entender do seu advogado, "é o tribunal de instrução criminal competente, dada a localização do processo, em Lamego", concelho a norte do distrito.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG