"Rede de pedofilia" denunciada via WhatsApp. PSP diz que é falsa

Uma mensagem a circular no WhatsApp está a alarmar os pais. Diz que há uma "rede de pedofilia na Lapa". A PSP desmente. A autarquia diz que prejudica e critica quem partilha

"ATENÇÃO PAIS. Vejam a mensagem que anda a circular", lê-se na mensagem que desde segunda-feira circula no Whatsapp. O caso que divulgam é verdadeiro, as autoridades estão a investigar, mas a história está mal contada. E a situação não tem a natureza e a dimensão que os emissários lhe atribuem.

Continua a mensagem: "O meu filho está no Colégio Santa Maria [Lapa] e no grupo da turma partilharam que na passada 6ª feira, uma aluna, que espera sempre o pai na esquina, foi abordada por um carro com um homem que lhe disse que vinha a pedido da avó dela, disse o nome da avó e para ela entrar no carro. A miúda teve o bom senso de fugir para dentro da escola e quando os pais a foram buscar, foram à esquadra. Disseram que anda uma rede de pedofilia na zona da Lapa. Infelizmente, a nossa zona neste momento não está nada segura, ultimamente são muitas as histórias horríveis. Cuidado!"

A versão da PSP é outra. Garantem que nunca falaram em rede de pedofilia e que nem sequer têm registo de outro caso do género. "Há a queixa de uma aluna, de um sujeito desconhecido que a abordou, disse-lhe que a ia levar à avó. A aluna regressou à escola e alertou a Direção. Esta avisou a Escola Segura", explicaram do gabinete de imprensa da autoridade.

Não há registo de outros casos na zona

O caso aconteceu na passada quinta-feira e os agentes da PSP asseguram que não houve mais nenhum registo de uma situação semelhante. O caso está a ser investigado pelo Departamento de Investigação Criminal da PSP.

A mensagem chegou ao presidente da Junta de Freguesia da Estrela, Luís Newton, bem como outras que já falavam em violação. O dirigente acabou por esclarecer o assunto na sua página do Facebook "para tranquilizar a comunidade". Reforçou a "necessidade de nos mantermos vigilantes", do papel dos pais em informar os filhos, mas alertando "para que não se propaguem ou não se inflame a Freguesia com relatos pouco cuidados ou mesmo falsos"

"Este alarmismo está a causar o pânico e ansiedade"

O autarca garante que não houve registos de casos na zona desde que assumiu a presidência da Junta, há cinco anos. "A nossa preocupação é saber o que se passou, mas a mensagem que circula dá a ideia de uma rede que a PSP desmente. É um caso isolado, Por outro lado, pressupõe que há um acesso aos familiares dos alunos quando, por vezes, as crianças acabam por publicar elementos na Internet que revelam informações de quem as rodeia", disse ao DN.

Luís Newton diz perceber a preocupação de algumas pessoas, criticando quem esteja a partilhar sem refletir sobre a mensagem e que assim se multiplica. "Há quem partilhe em pânico e quem partilhe por partilhar, por isso digo, cuidado. Em primeiro lugar, pode pôr em causa a segurança das próprias pessoas. Em segundo, podem inconscientemente estar a perpetuar este crimes. Este alarmismo está a causar o pânico e ansiedade que levam as pessoas a tomar medidas drásticas, o que não se justifica. As autoridades estão a investigar."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG