Quatro detidos e polícias com ferimentos leves em confrontos com manifestantes em nome do Bairro da Jamaica

Um porta-voz da PSP garantiu que a Baixa lisboeta já está segura e confirma o arremesso de pedras e petardos, que causaram danos em viaturas da polícia e de civis

Os confrontos entre os manifestantes em nome do Bairro da Jamaica, no Seixal, e as forças policiais, esta segunda-feira à tarde na Baixa de Lisboa causaram alguns agentes feridos de forma ligeira, que não precisam de tratamento hospitalar, de acordo com um porta-voz da PSP.

Os problemas surgiram já depois do grupo de manifestantes ter abandonado o protesto durante a tarde em frente ao Ministério da Administração Interna (MAI), na Praça do Comércio. O grupo subiu depois a Avenida da Liberdade em direção ao Marquês de Pombal e, segundo o porta-voz da PSP, foi aí que se registaram os distúrbios. "O grupo subiu a avenida de forma isolada e sem enquadramento, tendo os agentes da polícia tentado que essas pessoas fossem para uma das bermas da Avenida da Liberdade para que fosse desimpedido o trânsito", explicou.

Os problemas surgiram depois. "Foram arremessada pedras da calçada e petardos contra os agentes, que atingiram e danificaram viaturas da PSP e carros civis, pelo que houve necessidade de proceder à dispersão dos manifestantes", acrescentou o porta-voz da PSP, não confirmando se houve disparos com balas de borracha.

Foi ainda confirmada a detenção de quatro manifestantes, sendo que a mesma fonte policial disse que não consegue confirmar que o grupo são do Bairro da Jamaica, onde no domingo se registou um episódio de violência com moradores daquele bairro do Seixal e alguns agentes da PSP.

O mesmo porta-voz revelou que a Baixa lisboeta "já está segura", mas que o dispositivo policial vai manter-se "até os manifestantes dispersarem na totalidade".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG