PSP deteve três traficantes internacionais de armas, numa operação que apanhou sete

Resultado de 22 meses de investigação numa operação que recebeu a designação "Flobert".

A PSP anunciou esta quinta-feira que deteve três suspeitos de tráfico de armas, que se dedicavam à aquisição, transformação e venda ilícita de armas de fogo, e apreendeu 23 armas no âmbito da segunda fase da operação "Flobert".

Segundo a Polícia de Segurança Pública, esta operação, destinada ao combate do tráfico internacional de armas e que tinha 22 meses de investigação, resultou em sete detidos.

Em comunicado, a PSP refere que o Departamento de Armas e Explosivos realizou hoje a segunda fase da operação "Flobert", tendo resultado na detenção de três pessoas, um dos quais ucraniano, que se dedicavam à aquisição, transformação e venda ilícita de armas de fogo, e na apreensão de 23 armas, bem como outro material relacionado com esta atividade ilegal.

Entre o material apreendido, avança a PSP, estão três armas de fogo longas, espingardas, uma arma de fogo longa, carabina, dois revolveres, uma pistola calibre 6.35 mm, outra pistola calibre .22 com silenciador, cinco armas de ar comprimido, 10 réplicas de arma de fogo, 21 armas brancas, três aerossóis de defesa e duas armas elétricas dissimuladas, além de mais de 250 munições de arma de fogo, três notas falsas de 500, 200 e 20 euros e 220 euros em numerário.

Segundo a PSP, a operação deste dia, realizada no distrito de Lisboa, foi o resultado de 22 meses de investigação e visou o cumprimento de dois mandados de detenção e 25 mandados de busca e apreensão, sendo sete domiciliários e 18 não domiciliários.

A PSP sublinha que se trata de "uma investigação relacionada com tráfico internacional, mediação e transformação de armas de fogo, resultado de uma ação complexa de pesquisa, análise e produção de informação policial através dos diferentes mecanismos de partilha de informação, nacionais e internacionais, relacionada com a venda e posse ilícita de armas de fogo em Portugal e Europa".

No total e desde que teve início esta operação foram detidos sete pessoas, dois dos quais de nacionalidade ucraniana e outro chinesa, e realizados 47 mandados de busca e apreensão, sendo 13 domiciliários e 34 não domiciliários, além da apreensão de 176 armas.

Promovido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, esta operação contou hoje com 70 polícias do Departamento de Armas e Explosivos, Unidade Especial de Polícia e Departamento de Investigação Criminal.

Os três detidos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial, no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, durante o dia de amanhã para efeitos de eventual aplicação de medidas de coação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG