Portugal com 10.ª taxa de mortalidade por hepatite mais elevada da UE

Entre os países da União Europeia, Portugal registou, em 2017, perto de nove mortes por milhão de habitantes, de acordo com os dados divulgados pelo Eurostat.

Portugal era, em 2017, o 10.º país da União Europeia (UE) com a taxa de mortalidade mais elevada por hepatite, segundo números divulgados esta terça-feira pelo Eurostat a propósito do Dia Mundial de Combate à Hepatite.

Segundo o gabinete de estatísticas comunitário, aqueles que são os dados mais recentes referentes à doença na União revelam que, "com 33 mortes por milhão de habitantes devido a hepatite, a Itália registou a taxa mais elevada entre os Estados-membros da UE em 2017".

Seguiu-se a Letónia (31 mortes por milhão de habitantes) e a Áustria (19 mortes por milhão de habitantes).

Portugal ocupou a 10.ª posição entre os países da UE com mortalidade mais elevada, ao registar perto de nove mortes por milhão de habitantes.

Em 2017, registaram-se quatro milhões de mortes por hepatite na UE

O Eurostat ressalva, ainda assim, que "para fazer uma boa comparação entre países, o número absoluto de mortes entre países precisa de ser ajustado à dimensão e estrutura da população".

Por outro lado, as taxas de mortalidade mais baixas foram registadas na Finlândia (com menos de uma morte devido a hepatite por milhão de habitantes), seguida da Eslovénia (uma) e da Holanda (duas).

Ao todo, foi reportado um número total de mais de quatro milhões de mortes por hepatite na UE em 2017, dos quais cerca de 5.500 estiveram relacionadas com a hepatite viral.

"Apesar de homens e mulheres serem quase igualmente afetados, aqueles com mais de 65 anos são mais suscetíveis, uma vez que representam quase dois terços destas mortes", conclui o Eurostat.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG