PJ investiga morte à pedrada e incêndio em Corroios

Os bombeiros foram chamados a apagar fogo num prédio de Corroios. No local, percebeu-se que a vítima mortal tinha sido agredida, alegadamente com uma pedra. PJ investiga morte e incêndio. Há um suspeito.

Eram 13:49 horas desta segunda-feira, quando os bombeiros foram chamados para um incêndio num prédio na praça Almeida Garret, em Corroios (Seixal), Uma vez no local, perceberam que a vítima mortal, o proprietário do andar onde deflagrou o fogo, tinha morrido não pelas chamas mas devido a agressões com uma pedra. A PJ ainda está no local a recolher dados sobre as causas do homicídio e do incêndio, apurou o DN junto desta policia.

Há um suspeito, um homem da mesma idade que a vítima mortal, estando a polícia a investigar se foi o autor do homicídio para formalizar a sua detenção, o que às 18.30 horas desta segunda-feira ainda não acontecera.

O prédio em causa tem oito pisos e os seus moradores foram evacuados, tendo 14 deles sido encaminhados para o Hospital Garcia da Horta, em Setúbal, por inalação de fumo, mas sem consequências graves, disse ao DN fonte do Comando Distrital e Operações de Socorros (CDOS) de Setúbal. E outras três vítimas foram assistidas no local.

As chamas foram rapidamente extintas, segundo o CDOS de Setúbal. O combate às chamas e investigação policial envolveu 55 operacionais - bombeiros do Seixal, ed Cacilhas e da Amora, além da Proteção Civil, INEM, PSP e PJ - e 19 viaturas.

Exclusivos