PJ detém empresário chinês e dois seguranças por incêndio que matou homem no Porto

Os suspeitos já tinham pegado fogo ao mesmo prédio uma semana antes. Morreu um homem de 50 anos e foram hospitalizados cinco vizinhos.

A polícia judiciária deteve, esta sexta-feira, três pessoas suspeitas de terem ateado fogo a um prédio no Porto. O incêndio causou a morte a um homem de 50 anos. Os detidos são um empresário chinês e dois seguranças portugueses, acusados de terem provocado dois incêndios no mesmo prédio.

Os suspeitos têm entre 20 e 40 anos e já tinham antecedentes criminais. Vão agora ser submetidos a um interrogatório judicial.

"Os fogos terão sido provocados pelos detidos, com recurso a um produto acelerante de combustão, em duas datas distintas, tendo o segundo assumido proporções muito graves que vieram a provocar a morte de um dos residentes", pode ler-se num comunicado da policia judiciária.

No dia 2 de março, os presumíveis autores do acidente pegaram fogo, pela segunda vez, a um prédio de quatro andares na Rua Alexandre Braga, no Porto, onde vivia uma octogenária com os seus filhos - um deles morreu. Foram ainda hospitalizadas cinco vizinhos por inalação de fumos e a residência ficou destruída.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG