PJ detém grupo de jovens que assaltava estafetas de pizzas em Lisboa

Três rapazes e uma rapariga com idades de 17 a 20 anos assaltaram à mão armada, na via pública, funcionários de entrega de pizzas, as quais eram previamente encomendadas pelos próprios, na zona da Estefânia, em Lisboa

A Polícia Judiciária (PJ) deteve quatro jovens, três rapazes e uma rapariga, com idades entre os 17 e 20 anos, que terão assaltado por quatro vezes à mão armada, na via pública, funcionários de entrega de pizzas, as quais eram previamente encomendadas pelos próprios, apropriando-se não só dos alimentos, como também de outros bens das vítimas.

Os assaltos ocorreram no espaço de cinco dias, entre 31 de julho e 4 de agosto, na zona da Estefânia, em Lisboa, tendo sido apreendida uma arma de fogo. Os jovens, detidos através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da PJ, com a colaboração da Polícia de Segurança Pública, estão indiciados pela prática de crimes de roubo agravado e são fortemente suspeitos de terem cometido outros assaltos à mão armada, um dos quais a um taxista.

De acordo com o coordenador João Bugia, da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da PJ, trata-se de um grupo espontâneo e não de um gang. "Será um grupo de jovens que não tinha mais nada para fazer e resolveu fazer isto", disse o coordenador ao DN.

De acordo com um comunicado enviado pelo gabinete de imprensa da PJ, os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial, no qual serão sujeitos à aplicação das medidas de coação tidas por convenientes, e a Polícia Judiciária irá prosseguir as diligências no sentido de apurar o eventual envolvimento dos ora detidos em outros crimes semelhantes.

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Na hora dos lobos

Na ação governativa emergem os sinais de arrogância e de expedita interpretação instrumental das leis. Como se ainda vivêssemos no tempo da maioria absoluta de um primeiro-ministro, que o PS apoiou entusiasticamente, e que hoje - acusado do maior e mais danoso escândalo político do último século - tem como único álibi perante a justiça provar que nunca foi capaz de viver sem o esbulho contumaz do pecúlio da família e dos amigos. Seria de esperar que o PS, por mera prudência estratégica, moderasse a sua ação, observando estritamente o normativo legal.