PJ detém funcionário da Autoridade Tributária suspeito de apagar dívidas fiscais

Um funcionário da polícia do fisco e outros quatro homens foram detidos por corrupção ativa e passiva, falsificação de documentos, branqueamento, acesso ilegítimo qualificado e fraude fiscal.

A Polícia Judiciária deteve esta quinta-feira cinco homens entre os 48 e os 67 anos, suspeitos de apagarem dívidas fiscais a troco de dinheiro. Entre eles está um funcionário da Autoridade Tributária, confirmou a PJ em comunicado enviado às redações.

"Nesta operação, que ocorreu nas zonas de Lisboa, Leiria e Coimbra, foram realizadas 29 buscas, domiciliárias e não domiciliárias, em entidades públicas e empresas, envolvendo investigadores e peritos da Policia Judiciária, além de magistrados Judiciais e do Ministério Publico", acrescenta a nota. Foram apreendidos documentos, telemóveis, computadores e saldos bancários.

A investigação da PJ, levada a cabo pela diretoria do Centro, em inquérito dirigido pelo Ministério Público, e batizada de My Friend, começou no final de 2018 e os cinco detidos são suspeitos dos crimes de corrupção passiva e ativa, falsificação de documentos, branqueamento, acesso ilegítimo qualificado e fraude fiscal qualificada.

"Os arguidos, um deles funcionário da AT [Autoridade Tributária], violando claramente os respetivos deveres funcionais e em claro prejuízo do erário público, atuavam em beneficio de terceiros na resolução de problemas fiscais, recebendo contrapartidas monetárias e outras", diz o comunicado da PJ.

Os detidos vão ser sujeitos a interrogatório judicial para a aplicação de medidas de coação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG