Operação em Borba envolve 37 veículos e 74 operacionais de várias especialidades

Veículos de assistência tática, ambulâncias, motobombas, pessoal médico, agentes de forças policiais e mergulhadores entre vários outros numa equipa diversificada no terreno

As operações de busca e salvamento na pedreira de Borba, onde na segunda-feira desabou um troço da estrada municipal 255, envolvem meios e profissionais de várias especialidades, desde pessoal médico, forças de segurança operadores de equipamentos específicos, como as motobombas utilizadas para drenar a água, e mergulhadores.

Atualmente, de acordo com informações dadas ao DN pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS), "estão no local 37 veículos com 74 operacionais".

Entre os veículos incluem-se as ambulâncias de socorro, unidades de suporte imediato de vida (SIV) e diversos outros para "assistência técnica, tática e comando". Nomeadamente "várias motobombas de grande débito" e "unidades para operações específicas", como as que transportam os mergulhadores.

O balanço provisório do acidente aponta para dois mortos - um dos quais já localizado e recuperado - e três feridos, que seguiriam a bordo de dois veículos que caíram à pedreira quando a estrada ruiu mas não está descartada a hipótese de o balanço final poder ser diferente. As autoridades estão nesta fase a concentrar os seus esforços na dragagem da água que se encontra na pedreira, de forma a localizar as duas viaturas e a vítima (ou vítimas).

Refira-se que também estão no local agentes da autoridade, nomeadamente da Polícia Judiciária, tendo em vista fazer as peritagens que permitam apurar as causas e eventuais responsabilidades pelo que sucedeu.

1000 metros de mangueiras para drenar a água

As operações nas pedreiras atingidas pelo deslizamento de terras e pelo colapso de um troço de estrada recomeçaram hoje de manhã com a instalação de 400 metros de mangueira para drenar a água de um dos poços.

A Solubema, do setor dos mármores, está no local a realizar este "trabalho gratuitamente", segundo disse hoje aos jornalistas fonte da empresa, prevendo que a mangueira possa começar a drenar água até ao final da manhã.

Neste "espelho de água" é onde está o corpo da segunda vítima confirmada, operário das pedreiras, e a retroescavadora arrastada. As operações em curso visam retirar este segundo corpo.

Ao longo da tarde previa-se que fossem esticados, pelo menos, mais 600 metros de mangueira, ligadas a três motobombas, para drenar a água do segundo poço, que tem cerca de 250 mil metros cúbicos de água e 50 metros de profundidade.

*Com Lusa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG