"O pior já passou". Chuva e vento vão continuar ao longo da semana

Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil registou 315 ocorrências durante a noite devido ao mau tempo, a maioria quedas de árvores e de estruturas.

A chuva e o vento fortes que afetaram oito distritos de Portugal continental na noite passada e causaram dezenas de quedas de árvores acalmaram, apesar de ainda haver aviso emitido, segundo o IPMA e a proteção civil.

"O pior já passou. As maiores quantidades de precipitação já ocorreram e neste momento vamos ficar num regime de aguaceiros que serão fracos nas regiões sul e no norte podem ser ainda pontualmente fortes e acompanhados de trovoada", disse à agência Lusa a meteorologista Patrícia Gomes.

De acordo com a especialista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o vento vai continuar a soprar com alguma intensidade nas terras altas e, por isso, ainda se há aviso amarelo para a previsão de vento forte com rajadas de 70 quilómetros por hora (km/h), sendo de 90 a 100 quilómetros nas terras altas.

"Para hoje [segunda-feira] existe também um aviso amarelo para agitação marítima com previsão de ondas com 4 a 5 metros na faixa costeira ocidental entre Viana do Castelo e Lisboa", disse.

Patrícia Gomes esclareceu ainda que o mau tempo não está relacionado com a passagem de duas depressões, uma em Espanha e outra em França.

"Nos próximos dias vamos ter sempre precipitação mais ou menos fraca e o vento vai soprar com menos intensidade será ainda forte nas terras altas, mas não tão forte como na noite de domingo para segunda-feira. Esta situação vai manter-se até sexta-feira", contou.

No que diz respeito às temperaturas, Patrícia Gomes adiantou que vão registar-se apenas pequenas variações de um a dois graus ao longo da semana.

Proteção Civil registou 315 ocorrências a maioria são quedas de árvores

Fontes dos Comandos Distritais de Operações de Socorro (CDOS) dos distritos de Viseu, Porto, Guarda, Viana do Castelo, Aveiro, Coimbra, Castelo Branco e Braga adiantaram esta segunda-feira à Lusa que registaram até cerca das 07:00 dezenas de ocorrências relacionadas sobretudo com quedas de árvores, mas também devido à queda de estruturas e pequenas inundações.

Estes distritos estiveram sob aviso laranja do IPMA por causa da previsão de chuva forte e persistente, acompanhada de trovoadas e rajadas fortes e vento forte do quadrante oeste, com rajadas até 85 quilómetros por hora, sendo de 120 quilómetros por hora (Km/hora) nas terras altas.

Estes distritos passaram, entretanto, a aviso amarelo apenas para a previsão de vento forte com rajadas até 85 km/h, diminuindo gradualmente para 70 km/h, e de 110 km/h nas terras altas.

Este aviso amarelo vai estar em vigor até às 18:00 de segunda-feira.

No domingo, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) emitiu um aviso à população dos distritos de Aveiro, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Porto Viana do Castelo e Viseu, devido ao agravamento das condições meteorológica.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil registou entre as 00:00 e as 08:00 de hoje 315 ocorrências por causa do mau tempo, a maioria quedas de árvores e de estruturas, mas sem consequências graves.

Em declarações à agência Lusa, o comandante Carlos Pereira, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), adiantou que até às 08:00 de hoje foram registadas 315 ocorrências, 203 das quais foram quedas de árvores e 24 inundações, por causa do vento e da chuva forte.

"Tivemos também algumas ocorrências relacionadas com pequenas inundações. Os distritos mais afetados pelo mau tempo foram os de Viseu com 54 quedas de árvores e Porto com 53, disse, salientando que até às 08:00 as ocorrências não causaram vítimas nem danos materiais avultados.

No Porto, segundo informação disponível na página da Internet da Câmara Municipal, a circulação rodoviária está cortada, desde cerca das 06:40, desde o Campo Lindo até à Praça Nove de Abril devido à queda de um andaime na Rua de Luz Soriano.

"Não há vítimas a registar, apenas danos materiais em algumas habitações", refere a autarquia.

O alerta foi dado pelas 06:40 e "a queda da estrutura de grandes dimensões impede, nas próximas horas, a circulação automóvel ao longo destas artérias", esclarece.

Fontes dos Comandos Distritais de Operações de Socorro (CDOS) dos distritos de Viseu, Porto, Guarda, Viana do Castelo, Aveiro, Coimbra, Castelo Branco e Braga contactados pela Lusa tinham adiantado ter registado até cerca das 07:00 desta segunda-feira dezenas de ocorrências relacionadas sobretudo com quedas de árvores, mas também devido à queda de estruturas e pequenas inundações.

Aqueles distritos estiveram sob aviso laranja, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) por causa da previsão de chuva forte e persistente, acompanhada de trovoadas e rajadas fortes e vento forte do quadrante oeste, com rajadas até 85 quilómetros por hora, sendo de 120 quilómetros por hora (Km/hora) nas terras altas.

Estes distritos passaram, entretanto, a aviso amarelo apenas para a previsão de vento forte com rajadas até 85 km/h, diminuindo gradualmente para 70 km/h, e de 110 km/h nas terras altas.

Este aviso amarelo vai estar em vigor até às 18:00 de segunda-feira.

No domingo, ​​​​​​​a ANEPC tinha emitido um aviso à população dos distritos de Aveiro, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Porto, Viana do Castelo e Viseu, devido ao agravamento das condições meteorológica.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG