Novo helicóptero do INEM começa a operar segunda-feira

O instituto reforçou "as suas sinceras e sentidas condolências às famílias das vítimas" e admitiu que este é "um momento particularmente difícil e extremamente doloroso para a nossa Instituição e seus profissionais"

O INEM vive um momento de luto, após a queda do helicóptero de Macedo de Cavaleiros que caiu este sábado e vitimou os seus quatro ocupantes. Na nota enviada às redações este domingo, o organismo anuncia que amanhã de amanhã, dia 17 de dezembro, o helicóptero de Macedo de Cavaleiros retomará a sua atividade normal.

"Num esforço conjunto entre o INEM e a empresa que fornece o serviço de helitransporte ao Instituto, será possível substituir a aeronave ontem acidentada na Serra de Santa Justa, e assegurar a respetiva tripulação (médico, enfermeiro e pilotos)", diz o comunicado.

"Neste momento, as principais preocupações do INEM são a reposição deste importante serviço que é prestado aos cidadãos, a par do acompanhamento e apoio que é necessário assegurar às famílias em luto e aos próprios profissionais do INEM", lê-se também na nota.

"O INEM volta, assim, a assegurar o funcionamento pleno do dispositivo afeto ao Serviço de Helicópteros de Emergência Médica. Este dispositivo coloca, 24 horas por dia ao serviço dos cidadãos, quatro helicópteros exclusivamente dedicados à emergência médica, com as respetivas bases localizadas em Macedo de Cavaleiros e Évora (helicópteros ligeiros) e Santa Comba Dão e Loulé (helicópteros médios)".

O Instituto agradeceu ainda "a todos os operacionais do INEM e demais Agentes de Proteção Civil que, em condições particularmente difíceis, tudo fizeram para que o helicóptero acidentado fosse rapidamente encontrado" e sublinhou o trabalho das equipas de psicólogos do INEM que foram mobilizadas para prestar apoio aos familiares das vítimas e aos próprios operacionais do Instituto, um trabalho que "vai continuar enquanto necessário.

O INEM reforçou "as suas sinceras e sentidas condolências às famílias das vítimas" e admitou que este é "umomento particularmente difícil e extremamente doloroso para a nossa Instituição e seus profissionais, agradecendo-se todas as numerosas mensagens de solidariedade recebidas".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG