Morreu o deputado do PS João Ataíde das Neves

Antigo presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz e secretário de Estado do Ambiente teve o seu último ato público no voto desta quinta-feira sobre a eutanásia, em que se absteve. Rui Rio diz estar "chocado" com a notícia.

O deputado do Partido Socialista e antigo presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz e secretário de Estado do Ambiente (entre abril e outubro do ano passado), João Ataíde das Neves, faleceu na madrugada desta sexta-feira vítima de doença súbita aos 61 anos, avançou o jornal Figueira na Hora e confirmou ao DN fonte do PS.

O seu último ato público foi esta quinta-feira no Parlamento, quando se absteve no voto da eutanásia.

Natural da Figueira da Foz, onde nasceu a 3 de maio de 1958, João Ataíde das Neves era licenciando em Direito pela Universidade de Coimbra, pós-graduado em Direito do Setor Empresarial do Estado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, e participou no Programa de Capacitação Avançada de Líderes, orientado pela Nova School of Business and Economics.

Juiz Desembargador do Tribunal da Relação de Coimbra, em licença sem vencimento desde que, em 2009, se candidatou à presidência da Câmara Municipal da Figueira da Foz, como independente, pelas listas do PS, João Albino Rainho Ataíde das Neves também desempenhava, desde 2014, o cargo de presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Região de Coimbra.

Depois de ter sido representante do Ministério Público da Comarca de Idanha-a-Nova (distrito de Castelo Branco) e juiz auxiliar de Porto de Mós (Leiria), João Ataíde exerceu funções na Comarca de Celorico da Beira (Guarda) e no Tribunal Judicial de Aveiro.

Entre 1991 e 2002 exerceu as funções de juiz para o Círculo Judicial da Figueira da Foz, assumindo, depois, o cargo de diretor Nacional Adjunto da Polícia Judiciária de Coimbra, sendo em 2004 nomeado diretor Nacional Adjunto da mesma polícia no Porto.

Regressou, no ano seguinte à Figueira da Foz, onde foi nomeado juiz auxiliar para o Tribunal da Relação de Coimbra e, em 2007, juiz desembargador do Tribunal da Relação do Porto e, em 2008, no Tribunal da Relação de Coimbra, onde se manteve até concorrer à presidência da Câmara da Figueira da Foz.

Além da liderança da Câmara da Figueira da Foz e da CIM Região de Coimbra, João Ataíde também era presidente da Mesa da Assembleia Geral da Incubadora de Empresas da Figueira da Foz, Associação de Arbitragem de Conflitos de Consumo, Administração do Porto da Figueira da Foz e da Estruturas e Investimentos do Mondego SA. E, por inerência da função exercida na autarquia, presidente do Conselho de Administração da empresa municipal Figueira Parques.

A notícia da morte de João Ataíde deixou o presidente do PSD, Rui Rio, em choque, visto que "ainda ontem participou normalmente nos trabalhos parlamentares". "Estou chocado com o falecimento de João Ataíde das Neves", escreveu na sua conta de Twitter. "Um homem que tive o prazer de conhecer quando foi diretor da PJ no Porto e de quem só posso dizer bem. Os meus sentidos pêsames à família e ao PS", recordou.

O ministro do Ambiente lamentou a morte do ex-secretário de Estado do Ambiente, tecendo elogios à "excecional capacidade profissional e política" e à "dedicação à causa ambiental". "Todo o seu percurso como magistrado, como presidente da Câmara da Figueira da Foz e como secretário de Estado do Ambiente foi um exemplo de serviço público", lê-se numa nota à qual a agência Lusa teve acesso, assinada por João Pedro Matos Fernandes, em que apresenta condolências à família.

Também o secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, manifestou o seu pesar pela morte do deputado socialista, considerando que foi "um profundo humanista" e "servidor do interesse público". Na nota enviada à Lusa, lembra a "honra de conhecer o João Ataíde como presidente da Câmara da Figueira da Foz e da Comunidade Intermunicipal de Coimbra, secretário de Estado do Ambiente e como deputado".

A líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, diz também que importa recordar João Ataíde "como homem de causas, de cultura e um humanista com apurado sentido de humor " e que "é esta a imagem que deve ficar de João Ataíde como político, como homem e como cidadão ativista pela melhoria do seu país".

A câmara municipal da Figueira da Foz decretou dois dias de luto municipal.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG